5000 vagas – Programa do Trabalhador Qualificado do Québec

As 5000 vagas prometidas até o final de 2016 já têm data determinada. Será a partir do dia 16 e até o dia 22 de agosto que os interessados em viver na província do Québec pelo programa de trabalhador qualificado poderão se candidatar a uma vaga.

Será no mesmo esquema que em junho de 2016 quando as 5000 vagas se esgotaram em menos de 5 horas. Terá uma fila de espera e os primeiros a conseguir uma vaga poderão pagar as taxas e se candidatar. É difícil saber quantos candidatos realmente respondem aos critérios do MIDI (Ministério da Imigração, Diversidade e Inclusão) estão cadastrados no Mon Projet Québec. Por isso, não podemos prever se todas as 5000 vagas se esgotarão tão rapidamente em agosto quanto em junho.

Lembramos que é necessário ter a pontuação mínima no momento de se candidatar. Se você ainda não tem a pontuação, não adianta conseguir uma vaga neste momento. Tem muitos candidatos estudando francês há muito tempo e que tem a pontuação mínima que poderiam perder uma vaga se os interessados que ainda não alcançaram a pontuação entrarem na fila de espera no próximo dia 16.

E depois de agosto?

Não sabemos quando, nem quantas vagas serão disponibilizadas em 2017. O que sabemos é que a maneira de escolher os candidatos será diferente. Não terá mais nota mínima. O MIDI escolherá somente os perfis com maiores pontuação. Para você saber qual é a sua nota e como poderia conseguir mais pontos, veja a nossa planilha de pontos. Preste atenção aos comentários. Se alguém perceber que tem pontuação baixa, existem outros caminhos, porém custosos, que podem ser seguidos. A École Québec tem parceria com agências de intercâmbio e pode orientar você para esses caminhos. Marque uma orientação!

Os principais caminhos que nossos alunos escolhem

Este post é um resumo das estratégias mais escolhidas pelos nossos alunos. Para conseguir mais informações a respeito dos programas de imigração ao Canadá, participe das nossas palestras oferecidas em São Paulo e no Rio de Janeiro e, em breve, online. Siga-nos no Facebook ou peça para receber a nossa newsletter.

Programa de trabalhador qualificado do Québec

Nós temos ex-alunos espalhados pelo Canadá e a maior parte está na província do Québec. A razão é simples: o ministério de imigração de lá estava promovendo bastante o seu principal programa de imigração que sempre foi um dos mais flexíveis e abertos do mundo.

Nos últimos anos, o MIDI limitou a quantidade de candidaturas de estrangeiros à residência permanente. Em junho de 2016, foram abertas 5 mil vagas que se esgotaram em menos de 5 horas. Ainda neste ano, foram prometidas mais 5 mil vagas, mas a data ainda não foi divulgada. Porém, já é possível criar uma conta na plataforma Mon Projet Québec.

A partir de 2017, o MIDI passará a escolher seus candidatos do mesmo jeito que está sendo feito no Express Entry, chamando os inscritos com as maiores pontuações.

Nossos alunos ainda preferem esse processo que, apesar de ser demorado e um pouco instável no momento, dá direito a alguns benefícios, além de não ser tão caro quanto outros programas, possibilitando que haja tempo de se organizar financeiramente.

Para saber se você tem perfil para esse processo de imigração, é possível realizar uma avaliação no próprio site do governo. Se quiser ter uma ideia mais exata da sua pontuação, criamos uma planilha de excel em português com os equivalentes de cada curso no Brasil. Basta solicitá-la por e-mail: contato_sp@ecolequebec.com.br

Programa de experiência quebequense (PEQ) – estudo

Esse ano, muitos dos nossos alunos escolheram esse caminho para chegar o quanto antes no Québec, uma vez que o processo estava demorando muito. O PEQ – estudo é um programa que dá direito ao CSQ após se formar no Québec. É importante ressaltar, contudo, que nem todos os diplomas são válidos para o PEQ-estudo. Os diplomas aceitos são: D.E.P. de 1800 horas (Ensino Médio Técnico), D.E.C. (Tecnólogo de 3 anos), baccalauréat (Bacharelado de 3 ou 4 anos), maîtrise (Mestrado e MBA) e doctorat (Doutorado).

Temos toda a informação necessária em um vídeo do youtube.

Vale observar que o cônjuge do estudante internacional ganha visto de trabalho aberto podendo trabalhar em qualquer área e empresa e assim cobrir os gastos com aluguel, comida, seguro e transporte durante a o tempo do curso. Os estudantes estrangeiros podem trabalhar 20 horas semanais durante os estudos e 40 horas semanais durante as férias. Eles ganham, após a conclusão do curso, um visto de trabalho aberto de duração igual ao curso realizado.

Programa de experiência quebequense (PEQ) – trabalho

O PEQ-trabalho é um programa que dá direito ao CSQ após um ano de trabalho remunerado em tempo integral.

Está acontecendo no momento a missão de recrutamento da Québec International que ajuda empresas a contratar brasileiros, mexicanos e colombianos nas áreas de TI e Usinagem fora do Canadá. As vagas estão sendo publicadas no site Quebec na cabeça. O nível de francês exigido depende da vaga. Já vimos, por exemplo, profissionais de usinagem experientes sendo contratados com nível de francês bem básico. No caso de programador de TI, muitos alunos nossos cursando o nosso nível B1 foram contratados e conseguiram se adaptar ao emprego logo que chegaram. Se o cargo for de analista, chefe de projeto, etc., o nível de francês exigido é muito mais alto: B2-C1 para cima.

Outra estratégia bem popular dentro do PEQ-trabalho é fazer um curso no Canadá que dá direito, após a sua conclusão, a um visto de trabalho aberto. Se conseguir arrumar um emprego, o estrangeiro poderá obter o CSQ pela experiência de trabalho de um ano. Nesta situação, aconselhamos escolher um curso que seja de uma área de demanda para ter mais facilidade de conseguir um emprego depois.

Canadian Experience

O Canadian Experience e o PEQ-trabalho são programas muito similares que dão direito a pedir a residência permanente após um ano de trabalho remunerado em tempo integral. A principal diferença é o local onde foi realizada a experiência de trabalho. Para o PEQ, a experiência deve ser realizada na província de Québec, ao passo que para o Canadian Experience não pode ser realizada na província de Québec.

É muito importante ressaltar que o emprego tem que ser de nível de qualificação (NOC) 0, A ou B. Resumindo, 0 seria o nível gerencial, A um nível profissional do ensino superior e B um nível profissional técnico.

Os nossos alunos que escolhem esse programa conseguiram com uma dessas três estratégias:

  1. Fazer um curso que dá direito, após o término, a um visto de trabalho aberto da mesma duração do curso. O risco é não conseguir um emprego depois de concluir o curso.
  2. Ser transferido. Alguns alunos que trabalhavam numa multinacional aqui no Brasil e conseguiram ser transferidos para o Canadá.
  3. Conseguir ser contratado por uma empresa canadense. Algumas áreas de trabalho têm falta de profissionais e é possível que uma empresa contrate um trabalhador estrangeiro. Para isso, a empresa terá que comprovar ao governo que realmente não conseguiu encontrar um profissional com esse perfil no mercado local o que poucas empresas se disponibilizam a fazer.

A vantagem do Canadian Experience em relação ao PEQ é no caso de casais em quais um dos cônjuges vai estudar e o outro consegue trabalhar. Nos 2 programas, o cônjuge do estudante internacional ganha visto de trabalho aberto, más só no Canadian Experience o cônjuge com visto de trabalho aberto poderá se candidatar ao Canadian Experience após um ano de trabalho remunerado de categoria 0, A ou B.

Express Entry

O Express Entry não é um programa de imigração e sim um banco de candidatos a imigração. Cada inscrito atinge uma certa pontuação e pode participar de um dos três programas descritos abaixo:

  1. Federal skilled worker program no qual o candidato tem um ano de experiência de trabalho em um nível de qualificação 0, A ou B;
  2. Federal skilled trades program no qual o candidato tem dois anos de experiência de trabalho num nível de qualificação B junto com uma oferta de emprego ou certificação canadense;
  3. Canadian experience class no qual o candidato tem um ano de experiência de trabalho remunerado no Canadá.

A maioria dos estrangeiros que consegue a residência permanente pelo Express Entry recebeu uma oferta de emprego ou foi chamado por uma província, pois é um fator que dá 600 pontos e garante ser convocado na próxima chamada. Em março, um casal de alunos foi chamado pela província de Ontário, por exemplo.

Conseguir uma oferta de emprego válida é relativamente difícil. Conforme mencionado, para poder oferecer um emprego a um estrangeiro, a empresa canadense deve comprovar ao governo que não encontrou nenhum profissional com as mesmas qualificações no mercado de trabalho local.

Na chamada de maio de 2016, o candidato com menor pontuação que foi convocado tinha 484 pontos. Para conseguir essa pontuação, tem que ter um perfil muito bom, menos de 30 anos, com alto nível de conhecimento do idioma, nível superior, etc. Na verdade, os candidatos que conhecemos que entraram pelo Express Entry foram chamados por uma província ou tinham um ano de experiência de trabalho canadense.

Verifique a sua pontuação no Express Entry aqui! Nós gostamos bastante do jeito que o cálculo da pontuação foi apresentada neste blog.

Se você precisar de ajuda mais específica para escolher um curso, por exemplo, podemos marcar uma orientação particular. Entre em contato para obter maiores informações.

Nós sempre tentamos ajudar os nossos alunos para que façam o processo de imigração sozinhos, sem ajuda de um consultor de imigração para diminuir os custos e guardar dinheiro que poderá ser muito útil nos primeiros meses no Canadá. E se o seu perfil for mais complicado, temos consultores de imigração e de relocalização para indicar.

Palestras sobre oportunidades no Canadá (em São Paulo)

Com sólida experiência em orientar pessoas no processo imigratório, Catherine Potvin, fundadora e diretora da École Québec – escola de francês e inglês -, já soma atendimentos a mais de mil alunos brasileiros inseridos no mercado de trabalho canadense

Acontecem nos dias 2 e 3 de junho, na cidade do Rio de Janeiro, e nos dias 10 e 11 de junho em São Paulo, palestras informativas gratuitas sobre possibilidades de imigração em especial para o Quebec e outras províncias do Canadá. Os interessados em descobrir como acontece o processo, quais caminhos estão abertos e quais investimentos são necessários, poderão esclarecer suas dúvidas e conhecer certos aspectos da cultura e sociedade.

Catherine Potvin, natural de Quebec, Canadá, completa em 2016 onze anos de Brasil e dez anos da fundação da École Québec, escola de inglês e francês com unidades em São Paulo e no Rio de Janeiro, e acompanha o planejamento dos candidatos brasileiros que querem construir suas vidas no Canadá.

A palestra aborda essencialmente os elementos que colaboram para a qualidade de vida no Canadá, os processos de imigração vigentes e os respectivos critérios de seleção, além dos serviços oferecidos pela École Québec.

A escola, que conta com parceiros importantes, como a Québec International, a Planet Interchange, a Reloc Québec e a Hi Bonjour, se orgulha em ser reconhecida como uma referência da cultura quebequense e canadense, um ponto diferencial no mercado de escolas de idiomas, e compartilha casos de sucesso de ex-alunos que conseguiram se estabelecer no Canadá de forma plena: nos âmbitos profissional, social, pessoal e familiar.

FamiliaEgashira
Familia Egashira, estabelecida em Quebec e famosa por ter participado do documentário O Último que Sair Fecha a Porta. Paulo e Janete são ex-alunos da École Québec.

O convite se estende aos interessados em aprender um idioma – seja inglês ou francês – e conhecer as oportunidades reais de aplicar para o processo de imigração, haja vista a constante necessidade do Canadá e principalmente do Quebec em receber profissionais de diferentes áreas que abrangem de enfermeiros a engenheiros de software.

Em São Paulo, as palestras acontecerão no espaço cultural compartilhado, La Cabane (Rua Loefgren, 896).

É preciso reservar o seu lugar pelo e-mail comunicacao@ecolequebec.com.br

Obrigada Adriana pela visita

Há algumas semanas, tivemos a oportunidade de conversar com a nossa ex-aluna, Adriana, enquanto ela estava de passagem por aqui. Quinze alunos e convidados tiveram o prazer de ouvir sobre sua história de imigração. Para quem perdeu essa oportunidade, deixamos aqui um resumo.

Olá, meu nome é Adriana e imigrei pro Canadá há 5 anos e meio. Sou formada como técnica em desenho de construçao civil e tecnóloga em Edifícios pela FATEC-SP. Na época que eu imigrei para o Québec, já tinha 9 anos de experiência na área. Após dois meses, consegui um emprego em Montréal como técnica em ferroviária. Um ano depois, mudei de emprego, para trabalhar numa equipe de pontes e obras de artes. No ano seguinte, comecei minha graduação em engenharia na ETS, faculdade de Montréal.

Como muitos imigrantes, tive medo e inseguranças. Passar por todos os obstáculos só me fez ter mais certeza de que trabalhando duro e não perdendo a esperança, tudo dá certo.
10463016_944825505609096_600052981071417591_n
 
Nao perca a próxima palestra, Viver no Québec, dia 19 de fevereiro, quando receberemos Juliana Nogueira que trabalhou na área financeira em Montréal e que decidiu voltar para o Brasil.

École Québec firma nova parceria

O novo regulamento sobre os consultores em imigração entrou em vigor em abril de 2015. Ele tem como objetivo eliminar as práticas errôneas e oferecer uma melhor proteção aos candidatos à imigração que escolheram o Québec para se estabelecer.

Esse regulamento estipula que um consultor em imigração é uma pessoa física que após ter realizado uma prova e ter sido aprovado pelo ministério da Imigração, da Diversidade e da Inclusão do Québec pode aconselhar, ajudar ou representar outra pessoa relativamente a um pedido de imigração apresentado ao ministério.

Neste sentido, indicamos o escritório Reys & Cavalcanti Advogados, que atua em parceria com agente credenciado pelo Governo do Canadá, aos que precisam de auxílio para o processo de imigração.

A École Québec, por ter acompanhado durante seus nove anos de existência vários candidatos brasileiros à imigração e por ter uma equipe de professores quebequenses, sempre indica aos interessados pela imigração ou por estudos no Québec palestras e sites oficiais assim como divulga informações recentes pelo site e em eventos. Contudo, nenhuma instituição de ensino pode oferecer consultoria de imigração.

Lembramos que é possível realizar o seu processo de imigração por conta própria. O governo do Québec é muito rígido neste aspecto. Transparência é um valor bem respeitado. Os interessados em imigração encontrarão toda a informação necessária nos sites oficiais e poderão fazer perguntas após as palestras dirigidas por ele.

Também, com sua equipe de professores quebequenses, a École Québec pode lhe ajudar a redigir o seu currículo e sua carta de apresentação, pesquisar e escolher um curso no Québec, escolher uma cidade onde morar, preparar-se para uma entrevista de emprego, etc. Se precisar de ajuda nestes quesitos, sugerimos marcar algumas aulas particulares. E se você estuda conosco, verá um pouco de tudo isso durante o curso.

Québec procura enfermeiros

É urgente. O Québec está à procura de profissionais da saúde. De acordo com as previsões do Ministério da Saúde e dos Serviços Sociais da província, 28.000 vagas terão que ser preenchidas nos próximos cinco anos. Mais do que nunca, os enfermeiros brasileiros estão na mira.

O sistema de saúde do Québec é público e é bom. Porém, o envelhecimento da população e a falta de profissionais o enfraquece e esses dois fatores influem sobre a qualidade dos serviços. Para reverter a situação, Québec olha para o exterior e favorece a imigração de enfermeiros. Foi pensando nisso que o governo resolveu mudar as regras do processo de imigração para os profissionais da saúde. Desde agosto de 2013, os enfermeiros ganham 16 pontos em vez de 12. Eles são tratados como candidatos prioritários.

Viviane, enfermeira e candidata à imigraçaoPara poder se candidatar, é necessário ter um diploma universitário na área e experiência profissional. Como no processo comum, as pessoas com menos de 35 anos ou com filhos são as preferidas. Viviane Gesuato tem 35 anos e trabalha como enfermeira na ESF (Estratégia Saúde da Família) na Zona Norte de São Paulo. Soube do processo de imigração através de um amigo, e foi atrás de mais informações.

“Me interessei pelo assunto e agendei uma palestra de imigração ministrada pelo governo do Québec, onde pude conhecer melhor a proposta e esclarecer algumas dúvidas, o que me deixou mais segura para tomar a decisão da mudança.”

Viviane estudou francês na École Québec durante cerca de dois anos e se preparou durante três meses para fazer a prova do TCFQ, o Test de Connaissance du Français pour le Québec. Solicitou o Certificat de sélection du Québec (CSQ) e fez a entrevista oito meses depois. Agora só falta dar entrada no processo federal, iniciar a equivalência de diploma e obter junto à Ordem dos enfermeiros do Québec (OIIQ) o reconhecimento dos anos de experiência.

“Tenho várias expectativas, mas a principal é ter reconhecimento profissional. Tanto na questão financeira quanto no respeito à profissão. Além de viver uma nova experiência, quero poder viver em melhores condições, com mais segurança, lazer e saúde.”

Em Québec, o salário anual de um enfermeiro equivale, em média, a US$51 mil. Os supervisores recebem cerca de US$ 61 mil por ano. O crescimento profissional dentro da área é real e pode ser rápido, pois a experiência no Brasil é valorizada. Em apenas um ano, a paulista Ana Claudia de Arruda passou de estagiária a supervisora.

“Passei na entrevista de estágio do Hôpital Laval, na cidade de Québec, em janeiro de 2011. Durante o estágio, tinha sempre um enfermeiro comigo que me avaliava todos os dias. Depois de 30 dias, me tornei CEPI (candidata a enfermeira) e fiquei assim até setembro 2011, quando fiz as provas, prática e escrita, da Ordem dos Enfermeiros.  Me tornei enfermeira clínica, o hospital reconheceu todos os meus anos de experiência profissional e consequentemente ajustaram o meu salário. (…). Em dezembro, tive a oportunidade de fazer uma entrevista para o cargo de coordenadora de enfermagem numa casa de idosos, pois minha experiência no Brasil sempre foi em gestão. Comecei nesse trabalho em janeiro de 2012 e estou lá até hoje.”

Durante esse processo, Ana Claudia aprendeu muito. Apesar das falhas que existem no atual sistema da província, ela conseguiu evoluir profissionalmente, ampliando seus conhecimentos na área.

“O sistema de saúde do Québec é deficitário, como todo sistema de saúde público em qualquer lugar do mundo. Os hospitais são antigos, datam da década de 60, mas eles têm tecnologia de primeiro mundo, aparelhos novos e super tecnológicos. Para trabalhar é super interessante pois você aprende novas coisas, com novas tecnologias e procedimentos atualizados.”

A adaptação ao mercado de trabalho quebequense será muito mais fácil para quem tem um bom domínio da língua. Ana Claudia sabe disso e tem só um conselho para dar às pessoas que querem seguir o caminho dela.

“Estudem francês, estudem francês e estudem francês! É fácil se adaptar às pequenas diferenças técnicas e de procedimento, mas se você não tiver um bom francês, se você não se comunica bem, não consegue passar na prova da Ordem, não consegue ser respeitada pelos seus novos colegas de trabalho no hospital e desse jeito a sua integração vai ser muito difícil. Estudem o máximo de francês possível antes de vir, isso ajudará muito na integração no mercado de trabalho.”

E para Ana Claudia, não há dúvida! A École Québec é o melhor lugar para se preparar a imigrar.

“Me ajudou muito, pois aprendi tudo sobre a cultura do Québec. Aprendi a respeitar a forma dos quebequenses verem a vida, para poder me integrar na sociedade. Na École aprendi o francês do Québec, com o sotaque do Québec, o que ajuda a entender as pessoas aqui”.

E aí, partiu Québec?!

 

Últimas mudanças no processo de imigração para o Québec

A École Québec fica feliz em anunciar que a partir do dia 1° de agosto de 2013, o processo de imigração pelo Québec voltou a aceitar pedidos de CSQ (certificado que comprova que o governo do Québec o selecionou como imigrante qualificado) de candidatos de todas as áreas de formação. No entanto, algumas mudanças dificultam a obtenção do tão desejado CSQ como a exigência de alcançar o nível B2 de francês para pontuar no critério conhecimento de francês.

Catherine Potvin, diretora da École Québec, acredita que essas decisões resultarão no aumento do uso da língua francesa na comunidade imigrante da província e a diminuição dos custos ligados à francisation e integração dos recém-chegados. Ela comentou: “As mudanças significam, para alguns, uma espera maior e muito empenho, mas quando estiverem pagando impostos no Québec, todos apreciarão saber que o dinheiro público é usado de maneira cuidadosa.”

Quais são as mudanças?

Prioridade de tratamento e abertura a qualquer área de formação

A partir do dia 1° de agosto de 2013, os pedidos serão tratados na seguinte ordem:

  1. Pedidos de CSQ com base no programa de experiência quebequense
  2. Pedidos de CSQ com oferta de emprego validada
  3. Pedidos que obtém pontos no fator Área de formação
  4. Outros pedidos com qualquer área de formação

Conhecimento linguístico

A pontuação ligada ao conhecimento linguístico foi alterada. Agora, para obter pontos no critério francês, é preciso atingir pelo menos o nível B2. Segue a planilha de pontuação para o requerente principal:

Nas École Québec do Rio de Janeiro e de São Paulo, temos cursos intensivos que permitem, se forem realizados com seriedade e dedicação, atingir o nível B2 em menos de 1 ano.

Áreas de formação

Algumas profissões novas foram incluídas à lista de áreas de formação que pontuam como artes gráficas (comunicação gráfica), engenharia agrónoma e tecnólogo em educação infantil. Confira se sua área de formação é aceita.

Número máximo de pedidos

O Ministério limita a 20 000 pedidos de CSQ no programa regular de trabalhadores qualificados. Como esse número de pedidos é muito difícil de ser alcançado, a previsão é de que essa mudança não tenha efeito negativo.

Pontuação

Se quiser verificar sua pontuação, entre em contato com o contato_sp@ecolequebec.com.br e enviaremos a nossa planilha de pontuação atualizada.