Montréal busca profissionais do mercado de TI

A primeira missão oficial de recrutamento de profissionais de TI da agência Montréal International no Brasil, a Montréal Tech Job Fair , foi realmente um sucesso.

Nove empresas do setor de TI e de videogames encontraram centenas de brasileiros em São Paulo, entre os dias 16 e 21 de julho, na esperança de preencher mais de 100 vagas de emprego disponíveis dentro da Grande Montréal.

A delegação da Montréal International participou da conferência The Developers Conference (TDC), na qual as nove empresas da missão aproveitaram para encontrar espontaneamente os interessados por uma nova vida na província canadense de Québec.

A #TalentMontreal também organizou um Happy Hour no sábado, 20 de julho, no qual 230 candidatos também puderam encontrar recrutadores do Quebec. A missão da Montréal International terminou domingo no Hotel Grand Hyatt de São Paulo, onde mais de 200 candidatos realizaram entrevistas para contratação.

Interessados às vagas em TI e videogames pesquisando mais informações sobre os nossos cursos de francês (École Québec)

“Resultado super positivo! Estamos muito contentes”, afirmou o diretor de atração de talentos da Montréal International, David Lebel. “Nós recebemos mais de 4000 candidaturas e a gente percebeu que os brasileiros são pessoas extremamente capacitadas e experientes”.

A agência também se animou em constatar que os brasileiros e os quebequenses tem muitas afinidades em diversos níveis.

“No nível cultural, existe uma compatibilidade muito grande entre os brasileiros e quebequenses. Nossas culturas se assemelham e nós acreditamos que eles se integrarão facilmente à sociedade quebequense, tanto na vida pessoal como na profissional”.

Embora o domínio do francês não fosse uma condição de emprego para a maioria das empresas presentes, a delegação da Montréal International afirma, no entanto, que o sucesso da integração brasileira em Montréal depende, em grande parte, da proficiência na língua francesa. No Québec, a língua oficial no trabalho e na vida cotidiana é o francês. Mais de 95% da população da província utiliza essa língua.

A empresa COFOMO, ficou impressionada com a qualidade dos candidatos, no entanto, a ausência da proficiência em francês, em certos candidatos convocados para entrevista, foi um barreira na contratação durante esta missão.

“Eu tive excelentes candidatos entrevistados mas, infelizmente, a maioria não falava francês e eles foram desclassificados no momento. Eu os indiquei à École Québec afim de os entrevistar novamente no futuro”, afirmou Caroline Blais, vice-presidente adjunta de aquisição de talento da COFOMO.

 

A mesma história aconteceu para a companhia CGI, que também ficou encantada com os brasileiros e com a qualidade dos seus currículos. A empresa afirma que voltará ano que vem para contratar outros candidatos, mas lembra que quem deseja trabalhar com ela deve falar francês.

“O ambiente de trabalho, os clientes e as consultorias, tudo se passa em francês. Portanto, é primordial que, os candidatos interessados a trabalhar conosco, falem francês. Eles não poderiam ir ao supermercado ou comprar um carro se eles não falam francês. E a gente não pode esperar que eles cheguem no Québec para aprender o francês.”, insistiu a diretora de Serviços do Conselho da CGI de Drummondville, Marie-Josée Gaudreault.

Para outras empresas como a Unity  e WB Games, a proficiência do francês não é exigida para seguir com a contratação e a demanda de um visto de trabalho para os candidatos.

Porém, o Ministério da Imigração, da Diversidade e da Inclusão do Québec (MIDI) que esteve presente na missão, explicou aos candidatos que eles devem aprender o francês e o dominar até um nível intermediário avançado (B2) se eles desejarem, em seguida, obter suas residências permanentes.

“Em certas indústrias, as pessoas que não falam francês, conseguem ter o tempo de chegar, de aprender o francês localmente. É possível em certos setores, mas em outros, é menos possível”, confirma David Lebel. “Então, há setores onde as pessoas precisam chegar realmente com um nível intermediário no mínimo, mesmo intermediário avançado e, portanto, há um interesse em desenvolver uma parceria com a École Québec e fazer com que as pessoas possam aprender o francês enquanto aguardam o recebimento do seu visto de trabalho. Assim, até a chegada no Québec, a gente terá uma boa parte do caminho percorrido. E com a imersão local, eles poderão evoluir ainda mais seu francês”.

 

Para a Montréal International, está claro que o Brasil é um dos destinos certos para o recrutamento de profissionais qualificados. #TalentMontreal planeja organizar outras missões de recrutamento no futuro, tanto virtuais como presenciais.


Leia também a matéria original em francês abaixo.

La première mission officielle de recrutement de travailleurs qualifiés Montreal Tech Job Fair de l’organisme Montréal International au Brésil, s’est avérée un grand succès.

Neuf entreprises des secteurs des technologies de l’information et du jeu vidéo ont rencontré des centaines de Brésiliens à São Paulo entre le 16 et le 21 juillet dans l’espoir de combler plus de 100 postes disponibles dans la grande région de Montréal.

La délégation de Montréal International a d’abord participé à la conférence The Developers Conference (TDC) où les neuf entreprises de la mission ont en profité pour rencontrer de façon spontanée des centaines de candidats intéressés par une nouvelle vie dans la province de Québec, au Canada.

#TalentMontreal a aussi organisé un Happy Hour le samedi 20 juillet où 230 candidats ont aussi pu rencontrer les recruteurs des entreprises québécoises. La mission de Montréal International s’est terminée le dimanche 21 juillet à l’Hôtel Grand Hyatt de São Paulo ou plus de 200 candidats ont été rencontré lors d’entrevues d’embauche.

Interessados às vagas em TI e videogames pesquisando mais informações sobre os nossos cursos de francês (École Québec)

« C’est un bilan très positif ! On est très content », a affirmé le directeur de l’attraction de talents chez Montréal International, David Lebel. « Nous avons reçu plus de 4000 candidatures et on a remarqué que les Brésiliens sont des gens extrêmement bien formés et très expérimentés ».

David Lebel s’est aussi réjouit de constater que les Brésiliens et les Québécois ont de grandes affinités à plusieurs niveaux.

« Au niveau culturel, il existe une compatibilité très grande entre les Brésiliens et les Québécois. Nos deux cultures se ressemblent et nous croyons que ce sera facile pour eux de s’intégrer à la société québécoise, autant dans leur vie personnelle qu’en milieu de travail ».

Même si la maitrise du français n’était pas une condition d’embauche pour la majorité des entreprises présentes, la délégation de Montréal International rappelle que le succès de l’intégration des Brésiliens au Québec passe en grande partie par la maitrise de la langue française par les nouveaux arrivants. Au Québec, la langue officielle au travail et dans la vie quotidienne est le français. Plus de 95% de la population de cette province parle cette langue.

Pour l’entreprise COFOMO, qui a elle aussi été impressionnée de la qualité des candidats rencontrés, l’absence de la maitrise du français chez certains a été un obstacle à leur embauche durant cette mission.

« J’ai eu d’excellents candidats en entrevue mais malheureusement la majorité ne parlait pas français et ils ont été disqualifiés pour le moment. Je les ai référés à École Québec afin de les interviewer à nouveau dans le futur », a affirmé Caroline Blais, vice-présidente adjointe à l’acquisition de talents chez COFOMO.

« Ç’a été une mission extraordinaire. Nous avons découvert des candidats de qualités avec des niveaux d’expériences impressionnants et un savoir-être hors du commun. On est extrêmement satisfaits », s’est réjouit la directrice des Services Conseil pour CGI à Drummondville, Marie-Josée Gaudreault.

Même son de cloche du côté de la firme CGI, qui a été elle aussi enchantée par les Brésiliens et la qualité de leur curriculum vitae. L’entreprise affirme qu’elle reviendra assurément l’an prochain pour embaucher d’autres candidats, mais rappelle que ceux qui souhaitent travailler chez elle, doivent absolument parler français.

« Chez nous, l’environnement de travail est en français, nos clients sont francophones et nos consultations se passent en français. C’est donc primordial que les candidats intéressés à travailler chez nous parlent français.

Ils ne pourraient pas aller faire l’épicerie ou s’acheter une voiture s’ils ne parlent pas français. Et on ne peut pas attendre qu’ils arrivent au Québec pour leur apprendre le français », a insisté la directrice des Services Conseil pour CGI à Drummondville, Marie-Josée Gaudreault.

Pour d’autres entreprises comme Unity et WB Games entre autre, la maitrise du français n’était pas exigée pour procéder à l’embauche et à la demande d’émission d’un permis de travail des candidats retenus.

Mais le Ministère de l’Immigration, de la Diversité et de l’Inclusion du Québec (MIDI) qui était présent à la mission, a expliqué aux candidats pressentis qu’ils devront apprendre le français et le maitriser à un niveau intermédiaire avancé (B2) s’ils souhaitent par la suite obtenir leur résidence permanente.

« Dans certaines industries, les gens qui ne parlent pas français ont le temps d’arriver, de se franciser sur place. C’est possible pour certains secteurs mais pour d’autres secteurs, ce l’est moins », confirme David Lebel. « Donc il y a des secteurs où les gens doivent arriver vraiment avec un niveau intermédiaire au minimum, intermédiaire/avancé même et donc de là l’intérêt de développer un partenariat avec École Québec et de faire en sorte que les gens puissent être francisés en attendant la réception de leur permis de travail. Comme ça, à leur arrivée au Québec on aura un bon bout de chemin qui sera fait. Et avec l’immersion sur place, ils vont pouvoir pousser ça beaucoup plus loin ».

Pour Montréal International, il est clair que le Brésil est une destination incontournable pour le recrutement de professionnels qualifiés. #TalentMontreal entend organiser d’autres missions de recrutement dans l’avenir, autant virtuelles que présentielles.

Falta de mão de obra – Québec

A província de Québec também está em plena campanha eleitoral e um dos grandes temas discutidos é a imigração. Como em várias partes do mundo, os movimentos migratórios tem preocupado a população e políticos precisam discutir os diversos programas de imigração e integração.

Seguem algumas informações apresentadas por Ximena Sampson sobre o assunto da falta de mão de obra vivenciada no mercado de trabalho quebequense:

  • Nos últimos 14 anos, a taxa de cargos não preenchidos dobrou na província passando de 2% a 3,9%
  • O Québec é a província mais prejudicada pela falta de mão de obra no Canadá
  • Existem 3 tipos de penúria de mão de obra: em certos setores de atividade, em certas regiões e as vezes em certos setores dentro de uma região específica.
  • A dificuldade de encontrar funcionários qualificados está mais gritante nas regiões: capital nacional (Quebec City), Abitibi, Côte-Nord e Saguenay; regiões onde a taxa de desemprego é muito baixa.
  • As empresas mais prejudicadas são aquelas com menos de 50 funcionários.
  • Ao contrário da opinião de certos, a dificuldade de recrutar talentos não se restringe aos cargos com salários baixos. Sem serem cargos de engenheiros ou pesquisadores post-doutorais, são cargos que exigem certas qualificações ou um treinamento interno e que oferecem salários bem acima do salário mínimo.
  • A imigração não é a única solução. É preciso incentivar os trabalhadores mais velhos a se manterem empregados e inovar para reter o pessoal. Também, podem investir em automatização e modernização dos cargos.
  • São duas principais causas para a escassez: o envelhecimento da população e a recuperação económica.

O artigo termina com a opinião de 2 especialistas sobre como melhorar os programas de imigração para que ela seja realmente uma solução para o problema da falta de mão de obra. O Senhor Fortin explica que simplesmente aumentar as quotas gerais de imigração não vai resolver o problema. É preciso identificar as competências exigidas pelas empresas e escolher imigrantes que tenham essas competências.

O Senhor Gaudreault, economista na federação canadense da empresa independente, também considera que a tabela de seleção dos imigrantes deveria ser melhor adaptada ás necessidades do mercado. Se dá muitos pontos para um doutorado, mas será que corresponde ao que o mercado realmente precisa? Também, seria importante atrair mais imigrantes no interior pois hoje 74% deles se estabelecem na região metropolitana de Montréal.

 

Como se Apresentar em Francês (VÍDEO)

Saber se como se apresentar é algo muito importante na hora de fazer uma entrevista de emprego, uma prova de proficiência, ou simplesmente ao conhecer alguém.

No video dessa semana fizemos uma pequena demonstração utilizando palavras e frases chaves na hora de se apresentar.

Deixe o seu like no video caso as nossas dicas tenham te ajudado de alguma forma e compartilhe com aquele amigo que anda meio enrolado no francês.

Merci!

Trabalho no Québec: Entrevista de Emprego (Vídeo 2)

Falta pouco para a missão de recrutamento 2018. Neste segundo vídeo da série “Trabalho no Québec”, vamos te ajudar a elaborar suas respostas na hora da entrevista de emprego.

Ainda não está se sentindo seguro? Venha fazer uma preparação para entrevistas diretamente conosco. Basta entrar em contato através do nosso email e agendar um horário: contato_sp@ecolequebec.com.br

Bonne chance!

PEQ – Trabalhador Estrangeiro Temporário Especializado

Para os trabalhadores qualificados que tem um bom nível de francês, receber uma oferta de trabalho de uma empresa quebequense é um sonho possível. O programa de experiência quebequense é destinado aos estudantes de cursos elegíveis para o PGWP (permissão de trabalho pós-estudo) – e com frequência cursos que são não elegíveis para o PEQ estudo – e aos trabalhadores estrangeiros temporários que tem um emprego especializado e que respondem à certas exigências, das quais por exemplo ter um conhecimento intermediário/avançado da língua francesa. O PEQ não utiliza nenhum sistema de pontos e não leva em conta as características do cônjuge.

Para que o trabalhador qualificado possa submeter sua aplicação, ele precisa ter a intenção de residir no Québec, estar legalmente no Québec como trabalhar estrangeiro, ter ocupado um posto de trabalho qualificado (NOCs A, A ou B – e com as últimas mudanças anunciadas, os NOCs C e D passam a ser elegíveis também) em tempo integral (no mínimo 30 horas semanais) durante ao menos 12 dos 24 meses precedentes à demanda, demonstrar conhecimento em francês, demonstrar ser capaz de manter suas necessidades básicas por um período de 03 meses, ter no mínimo 18 anos e ser titular de um passaporte válido.

Os cônjuges que possuem permissões de trabalho abertas – atendendo às condições do programa – passam a poder aplicar sob as novas regras.

Trabalhos ocupados por candidatos que trabalham por conta ou em um empresa onde o candidato é também proprietário não são aceitos neste programa.

Para provar o conhecimento no francês, o candidato pode apresentar o resultado de um teste de francês oral (compreensão e produção oral CLB7 – B2 ou mais). Os testes aceitos são: TEFAQ, TCFQ, TEF, TEF Canadá, TCF, DELF e DALF.

Para os trabalhadores qualificados, é necessário esperar completar ao menos 12 meses de trabalho. Esses dozes meses de trabalho devem ser efetuados ao longo dos últimos 24 meses anteriores à demanda de CSQ. Além disso, no momento da demanda, o candidato deve igualmente ocupar um trabalho especializado, remunerado e a tempo integral.

O tempo de processamento  é de no mínimo 20 dias úteis, sem contar os prazos de postagem. No caso de dossiês incompletos, o MIDI envia aos candidatos uma carta apontando os documentos que não constam na aplicação e concede 60 dias para que o candidato complete seu dossiê ou o mesmo poderá ser rejeitado.

O CSQ não defere ao candidato a residência permanente. Caso o visto de trabalho temporário do trabalhador esteja perto de terminar, para poder permanecer e trabalhar no Canadá, é preciso obter um novo CAQ assim como uma nova permissão de trabalho temporário.

Trabalhando com Usinagem no Québec (Vídeo)

Nos meses de abril e setembro, a Québec Internacional realizará missões de recrutamento em parceria com empresas quebequenses que desejam contratar brasileiros, profissionais da área de usinagem (além de TI e manufatura).

Para te ajudar a se preparar para as entrevistas, conversamos com Dominique Potvin, quebequense, que trabalha como operador de CNC há 14 anos.

Ele nos falou sobre o mercado de trabalho, salário, carga horária e pré-requisitos necessários para se trabalhar com usinagem no Québec.

Confira:

 

 

Empregos no Canadá: TI, Usinagem e Manufatura

A economia na região da cidade de Québec está num ótimo momento. A taxa de desemprego fica abaixo dos 4% desde o início de 2017. Alguns setores da economia estão sofrendo por falta de profissionais. É o caso das áreas de usinagem, manufatura e tecnologia da informação.

Missões de recrutamento virtual anuais

Para as empresas que estão tendo dificuldades em encontrar profissionais desses setores, a Québec International organiza no Brasil, missões de recrutamento virtual. Já está confirmado que terá mais uma em setembro de 2018.

Missão de recrutamento presencial em São Paulo Abril 2018

Excepcionalmente esse ano, a Québec International trará empresas da região de Québec para São Paulo para recrutarem profissionais que correspondem às necessidades do mercado de trabalho. As entrevistas ocorrerão nos dias 21 e 22 de abril. As vagas serão divulgadas à partir do dia 12 de fevereiro. Quem quiser se candidatar deve redigir o seu currículo em francês e enviar até o dia 25 de março.

Nível de francês necessário

Dependendo do cargo, da empresa e do nível de francês dos outros candidatos, o nível exigido pode variar. O que mais influencia é o cargo.

Existem profissões que exigem mais habilidades de comunicação, como os analistas de sistemas por exemplo, que precisam conversar com clientes e redigir relatórios e e-mails profissionais. Outro fator que influencia é o grau de necessidade da empresa. Se a empresa está realmente com uma falta muito grande de profissionais ou se ela tem uma equipe que consegue trabalhar em português, essa empresa pode exigir menos.

Além disso, o nível de francês dos candidatos da missão pode determinar se você é selecionado ou não. Entre dois candidatos com o mesmo perfil, a empresa vai preferir aquele com melhor nível de francês.

Como a ÉQ pode ajudar

Há 11 anos, a École Québec trabalha com brasileiros que desejam viver no Canadá, ensinando francês, informando sobre as diversas formas de imigrar e melhorar o seu perfil para se candidatar a vagas de emprego ou a vagas de faculdade. Entre em contato conosco.

Empreendedora brasileira em Québec

Susana Ie é ex-aluna da unidade São Paulo da École Québec. Estudou francês conosco em 2008. Como ela tem uma empresa aberta na cidade de Québec há alguns anos, ficamos curiosos para saber como está sendo essa experiência e enchemos ela de perguntas.

Conta um pouco da sua vida no Brasil e da sua história de imigração.

Nasci e fui criada em São Paulo, na zona norte. Sou descendente de imigrantes japoneses originários da província de Okinawa. Fui feirante a minha vida toda no Brasil. Vendia pastéis nas feiras livres de São Paulo; cada dia ia trabalhar em um bairro diferente seja na Vila Guilherme, Vila Maria, Bom Retiro, Parada Inglesa ou no centro .
Sou a quarta filha de 4 filhos e nos criaram todos debaixo da banca de pastel. Trabalhávamos bastante. Éramos nós mesmos que fazíamos desde a massa até o recheio do pastel. Montávamos o pastel durante a madrugada e depois pela manhã íamos vender na feira. Tive uma infância dura e trabalhei muito, muito e muito! Meus irmãos saíram de casa e eu, como caçula, fiquei com a obrigação de cuidar dos meus pais. Não pude ir ao Japão, nem trabalhar fora de casa em escritório ou qualquer outro lugar. Levei a banca de pastel nas costas e cuidei dos meus pais que já eram idosos. Olhando para traz, posso afirmar que foi muito bom para eu crescer como pessoa e amolecer meu coração para a vida. Minha vontade de morar fora aumentou ao ver todos viajando e passeando quando eu tinha que ficar em casa fazendo massa de pastel e cuidando de tudo. Tanto que meu pai, antes de falecer, dizia que eu seria sua sucessora, que era uma menina guerreira que não conhecia a palavra preguiça. A banca continua no meu nome. É uma prima minha que cuida e deixo o lucro para a minha mãe.
Vim para Ville de Québec com meu marido no programa de trabalhador qualificado. Estudei 100 horas de francês na École Québec. Na época, minha filha mais velha tinha 2 anos e me arrastava para as aulas. Como acordava muito cedo e trabalhava muito, tinha que deixar minha filha com a minha mãe durante as aulas. Já exausta, não conseguia estudar muito. O francês veio quando já estava aqui, conversando na rua com as pessoas. Meu marido foi mais ousado. Chegou tirando sua carta de motorista. Hoje, ele tem  até a carta para dirigir moto que é bem difícil de conseguir aqui. Ele é analista de sistemas da área de TI e trabalha na Prefeitura da cidade de Québec.

No início, ele trabalhou no restaurante Cosmos até passar no concurso da prefeitura. Quando ele passou, fui trabalhar no lugar dele. Foi quando surgiu a ideia de abrir Cuisine du Brésil. Muitos brasileiros trabalham no Cosmos e eles me pediam para vender salgados dos quais sentiam saudade. Depois, até os vizinhos começaram a demonstrar interesse em comprar e o volume de vendas aumentou.

Os meus primeiros clientes foram a minha maior força de marketing. Eles elogiavam muito e de boca a boca fui vendendo e criando a minha boa moral de gostosuras, eficiência e bom atendimento.

E sobre a sua empresa, quais são os produtos ou serviços que você oferece? Em qual cidade você está? Tem funcionários? É sua principal fonte de renda? Como fazem os nossos leitores para entrar em contato e fazer um pedido?

Cuisine du Brésil foi oficialmente aberta em Dezembro de 2013 com o site de vendas online feita pelo meu marido que além de cuidar do site faz as entregas depois que ele chega da Prefeitura.  Esforçado, ele ainda entra em contato com os fornecedores de produtos brasileiros que também vendemos na loja online traduzida em inglês, francês e português.

Pasmem, não temos nenhum funcionário. Eu cozinho tudo sozinha, temos quatro filhos sendo que os dois últimos são gêmeos de um ano e quatro meses! Recebo clientes todos os dias, até de fim de semana. Abro meu jeitinho brasileiro para quem não consegue vir no horário comercial pois além das entregas temos a opção de retirada no local. Em casa, recebo todos os clientes com bolo, café, chá, etc.

Depois de quanto tempo no Québec, você conseguiu abrir a empresa?

Cheguei em Abril de 2010. Não pude trabalhar assim que cheguei pois estava com a minha filha de 2 anos e sem vaga na garderie (creche). Quando o Jeison passou na Prefeitura, parece que as coisas foram melhorando e até a vaga da garderie saiu. Em Novembro, comecei a trabalhar no restaurante e logo depois, engravidei da minha segunda filha. Como aqui não se pode trabalhar grávida em vários lugares como restaurantes, escolas e hospitais, fui afastada. Mesmo afastada, recebia um salário. Aqui, as crianças são o chuchu. Tem muitos incentivos para facilitar a vida familiar. Neste afastamento, como não podia trabalhar fora, acabei fazendo salgados para vender como autônoma. Ainda não tinha intenção de abrir uma empresa. Só decidi abrir a Cuisine mais tarde quando percebi que me separar das minhas filhas para ir trabalhar era muito difícil. Minha primeira filha, por exemplo, chorava dizendo que a gente só ia buscá-la a noite (aqui, escurece muito cedo no inverno).

Logo, quis fazer certinho; tudo legalizado. Consegui todas a informações nos sites do governo. No site do Ministério da Agricultura, Pescarias e Alimentação do Québec (MAPAQ), vi que era obrigatório fazer um curso de higiene, alimentação e manipulação de alimentos. Preenchi toda a papelada, paguei as taxas, fiz o curso e meu marido marcou o rendez-vous no MAPAQ. Só ia conseguir a licença quando aprovassem o local. Parece muito, mas é bem mais tranquilo que no Brasil onde é um parto. Aqui, as coisas realmente funcionam.

Pelo seu conhecimento, é mais fácil abrir no Brasil ou no Québec? Quais foram as maiores dificuldades e melhores facilidades?

No Brasil, o que eu via de facilidade, por exemplo no comércio, era que sempre conseguíamos vender todos os pastéis. Na minha época, na feira, não tinha horário certo como é hoje em dia. Às vezes, dava quase 4 da tarde e ainda estava esperando alguns últimos fregueses! Aqui, sinto falta desta esticada de horário já que tudo fecha mais cedo. Se acabam as embalagens no final de semana, por exemplo, só vou conseguir comprar mais na segunda seguinte. Muitas lojas não abrem de fim de semana. Tem que se programar melhor aqui.

Existe ajuda para montar o plano de negócios ou para conseguir um investimento inicial? Você usou algum serviço assim?

Sim, existe muita ajuda do governo para os iniciantes do comércio, coisa que admiro muito do Québec. Outra coisa que admiro é que mesmo com mais de 40 anos de idade, você ainda tem a possibilidade de mudar de área, sem problemas. Acho isso fantástico. Ainda mais para mim que trabalhei somente na área de alimentos. Às vezes, dá vontade de mudar de área. Mas todas vez, é a mesma coisa, quando penso em trocar, aparecem 4 ou 6 pedidos por dia e acabo brincando de comidinha.

Sobre imposto de renda? É complicado? É muito alto? Consegue comparar com o Brasil?

Aqui, os impostos são bem mais tranquilos de entender. No Brasil, é mais demorado, mais complicado. Aí, estou com pendências que até hoje não consegui resolver. Já fui correndo ao Brasil, aliás voando. Estou para receber restituição de 2011 ainda.

É fácil encontrar as informações necessárias sobre licenças de funcionamento, impostos, leis, etc.?

Sobre licença de funcionamento e impostos, é bem fácil aqui. É sempre chato preencher papelada, mas tendo a informação certa bem explicada nos sites do governo, tudo fica mais agradável.

E o futuro? Você tem alguns projetos novos ou planos de crescimento?

Recebi um e-mail alguns meses atrás de uma chance de abrir um Food Truck, mas sempre digo e repito que o meu trabalho não tem nenhuma ambição de aumentar ou ir para um lugar físico. O intuito da Cuisine não é enriquecer. É somente para eu conseguir trabalhar em casa e perto dos meus 4 filhos.

Já forneço as minhas massas de pastel para uma lanchonete nova que abriu em setembro aqui em Québec. Ainda, estou curtindo ser mãe de gêmeos, o que já me ocupa boa parte do tempo. Quero ter tempo para continuar sendo uma mãe carinhosa com meus 4 filhos e uma esposa dedicada.
Também tenho interesse em fazer mais cursos em outras áreas ou talvez na parte de doces, ou pães.

E pessoalmente, como você está? Quais aspectos da sua vida te confirmam que imigrar foi uma boa decisão para você e sua família? Quais são os aspectos mais difíceis ou o que você mais sente falta da sua vida no Brasil?

Na parte pessoal tudo só melhorou. Graças à Deus tenho mais liberdade, mais confiança em mim mesma. O Jeison também está ótimo. Estando longe, a família não te cobra tanto e não te dá tantos pitacos. Outro aspecto que gosto daqui é não ter que se preocupar com status e beleza, coisa que no Brasil me incomodava. Aqui, vejo que as pessoas são como eu. Vivem a sua própria vida e não se importam com os outros, acho magnífico!
O que sinto falta apesar de cozinhar boa parte da culinária brasileira é de comer pastel todos os dias. Aqui, só como quando tenho encomendas ou quando vem visitas. Nas encomendas acaba que não sobra, mas nas visitas, ai sim eu aproveito (risos).
Da família, eu sinto falta das festas que juntavam todos e tudo era curtido. Agora, as obrigações de ter que ir ou fazer por conta de ser família achava exaustivo. Tenho muitas saudades de estar perto da minha mãe, dos meus irmãos e sobrinhos. Sinto falta até do tacho quentíssimo de óleo fritando pastel ao som das músicas dos anos 80. Aqui também faço massa com música mas é um frio de “lascar”.

Para terminar, quais são suas principais dicas para imigrantes ou futuros imigrantes que querem empreender no Québec?

Minhas dicas para quem quer vir e empreender é que não se iludam achando que vão ganhar rios de dinheiro, não vão. Pelo menos aqui no Québec os impostos são bem altos, bem caro o custo de vida mas retorna tudo em educação, saúde e tal. Eu jamais conseguiria ter a qualidade de vida que tenho aqui, no Brasil, ainda mais com 4 filhos. Aqui como empreendedora autônoma, dá o meu horário, fechamos as portas, ou então se eu quero ficar 3 meses ou mais sem trabalhar eu só anuncio na página e no site que pararei nas datas seguintes e pronto. Agora se fosse loja física teria que seguir e cumprir com os horários de funcionamento do comércio.

Site para compras em 3 idiomas : cuisinedubresil.com ( português)
Informação Cuisine: info@cuisinedubresil.com
Telefone contato: 418 914 9488

Empregos de TI no Québec

Na École Québec, metade dos nossos alunos é da área de TI. Não é por menos, já que é a área com maior falta de profissionais no Québec. Nossa equipe ensina francês com foco no mercado de trabalho e cultura quebequenses, ajuda na redação do currículo e da carta de apresentação e prepara para as entrevistas de emprego e provas de proficiência. Conheça os nossos diferenciais.

Saiba sobre nossos preços e próximas turmas.

Missões de recrutamento

Há mais de 5 anos, a Québec International organiza todo ano uma missão de recrutamento internacional virtual com empresas da região de Québec com falta de programadores, analistas, analistas BI, etc. Essa missão se chama Québec na Cabeça.

Em 2018, vista uma demanda ainda maior de profissionais, a Québec International organizará uma missão presencial em São Paulo para ajudar essas empresas a encontrar os profissionais brasileiros que correspondem as necessidades do mercado. Os recrutadores dessas empresas estarão aqui para realizar entrevistas em francês em abril.

Etapas das missões de recrutamento

1.       Aproximadamente 2 meses antes das entrevistas ocorrerem, a Québec International divulga as vagas oferecidas pelas empresas participantes.

2.       Os candidatos devem enviar os seus currículos e cartas de apresentação até mais ou menos 3 semanas antes das entrevistas para as vagas que correspondem ao seu perfil.

3.       As empresas entram em contato com os candidatos pré-selecionados para marcar uma entrevista, prova de francês e/ou teste técnico.

4.       As primeiras entrevistas, de curta duração, são realizadas em francês.

5.       As empresas chamam os candidatos mais interessantes para uma segunda entrevista ou teste técnico.

6.       Um contrato de trabalho é enviado aos profissionais escolhidos.

7.       Os trâmites de pedido de visto de trabalho temporário se iniciam.

8.       Dependendo da necessidade da empresa e da demora no processo de visto, os candidatos contratados se mudam para o Québec e começam a trabalhar no novo contexto cultural de 5 a 12 meses depois da primeira entrevista.

Exigências

1.       Francês

Dependendo do cargo, o nível de francês exigido será de intermediário a avançado. Na ÉQ, temos alunos programadores JAVA e .NET que foram contratados ao concluir o nosso nível básico que tem 145 horas de duração (4 a 9 meses, dependendo da carga horária). Nosso último caso de sucesso impressionante, é de um aluno que começou o francês em dezembro de 2016, terminou nosso curso intermediário-avançado em agosto (fazendo 10 horas semanais) e foi contratado na missão de 2017 que foi realizada em agosto; tudo em 9 meses.

2.       Experiência de trabalho

A partir de 1 ano de experiência. Tudo depende do cargo.

3.       Formação

A maioria das vagas exige tecnólogo (DEC technique) ou bacharelado (baccalauréat) em Ciências da Computação ou área conexa.

4.       Conhecimento técnico

As principais necessidades são com programação .NET e JAVA, más tem vagas para analista, arquiteta, etc.

Fora da missão

Temos também alunos que são contratados fora da missão. Alguns, foram chamados pelo LinkedIn e outros, mais pro-ativos, enviaram seus currículos para empresas explicando que estavam dispostos a se mudar para o Canadá, demonstrando nível de francês e inglês e que para a sua profissão, o processo de pedido de visto seria simplificado.

Também, existem recrutadores internacionais que podem o ajudar a encontrar um emprego no Québec. Conheça a Abacus que recruta profissionais que já tem em mãos o Certificat de Sélection du Québec (Certificado emitido aos candidatos selecionados pela província de Québec).

Regras para visto de trabalho temporário

No geral, para uma empresa contratar um estrangeiro não residente permanente, é preciso comprovar para os governos que não foi possível encontrar um profissional com o mesmo perfil no mercado local. Essa comprovação exige um investimento em tempo e dinheiro. Por isso, poucas empresas conseguem ou querem contratar trabalhadores temporários estrangeiros.

No caso de alguns cargos de TI, como foi comprovado por várias empresas que a falta de profissionais nesse ramo é gritante, o governo permite que as empresas contratem fora do Canadá sem realizar essa comprovação. Segue lista de cargos em TI que se enquadram no tratamento simplificado:

1.       Engenheiro da computação

2.       Analista e consultor de informática

3.       Engenheiro e criador de software

4.       Programador e desenvolvedor de mídias interativas

5.       Desenvolvedor de websites

6.       Tecnólogo em redes de informática

7.       Agente de suporte ao usuário

8.       Tester de videogames

A lista completa se encontra neste link.

Redação do currículo para o mercado do Québec

Texto oferecido à École Québec por Camélia Chelabi, conseillère en ressources humaines

Conselhos para a redação do currículo

Os recrutadores só dedicam alguns segundos à análise do seu currículo no momento da primeira triagem. Por isso é essencial redigir cuidadosamente o seu CV para não perder a chance de causar boa impressão!

Seguem algumas dicas para a redação de um CV adaptado ao mercado do trabalho quebequense que chame a atenção.

  • A apresentação do CV deve ser impecável. O documento deve ser arejado e agradável de ler. É preciso deixar espaço entre cada segmento e escolher uma fonte adequada tanto pelo estilo quanto pelo tamanho. Para passar uma imagem de profissionalismo, as fontes muito fantasistas ou os currículos coloridos demais devem ser evitados, a menos que a indústria na qual você trabalha espere esse tipo de detalhe (meio artístico, por exemplo). A apresentação deve ser coerente e harmoniosa; cuidado então para manter as mesmas regras de diagramação ao longo de todo o CV (margens, espaços, títulos, formatos de data, etc.)
  • A qualidade do francês é muito importante! Não pode ter erros de ortografia ou de gramática. Um currículo com erros passa uma imagem de negligencia e falta de profissionalismo. Para vários recrutadores, isso pode ser um fator eliminatório da sua candidatura.
  • A concisão deve ser valorizada na redação de um CV. Prefere-se então o uso de frases simples que levem direto ao ponto. O CV deveria caber em no máximo 2 ou 3 páginas.

Agora, vamos falar do conteúdo. Seu CV deve conter as seguintes seções, na ordem a seguir:

  • Dados : nome, endereço, número de telefone e e-mail. No Québec, não se comunicam informações pessoais no CV. Por isso, evite incluir estado civil, lugar de nascimento, idade, etc.
  • Resumo ou Objetivo de carreira: Você pode, nesta seção, indicar um resumo das suas competências, como por exemplo, o número de anos de experiência na sua área, as competências particulares adquiridas durante a sua carreira, suas maiores qualidades como funcionário, etc. Certas pessoas preferem indicar nesta parte do currículo seu objetivo de carreira e o tipo de experiências que procuram.
  • Experiência de trabalho : ela deve ser enumerada da mais recente para a mais antiga. Para cada experiência, é preciso mencionar o título exato do cargo ocupado, as datas de início e fim do emprego (em formato de mês-ano), junto com uma lista das principais responsabilidades. Novamente, é preferível utilizar frases curtas e verbos de ação (coordenar, realizar, conceber, etc.) Se for pertinente, pode-se adicionar prêmios e reconhecimentos obtidos durante o emprego, clientes importantes com os quais você trabalhou (contando que não seja confidencial), ou as realizações concretas pela quais você é responsável. Poderia, por exemplo, mencionar números de vendas, porcentagens de crescimento, ou então melhorias em certos processos, etc.
  • Formações acadêmicas e profissionais : Aqui, deve-se mencionar diplomas obtidos e formações profissionais pertinentes. A menos que você seja estudante ou que tenha se formado há pouco tempo, essa seção deve sempre ser localizada depois da secção sobre experiência profissional.
  • Informações complementares : Essa parte pode-se falar sobre suas competências linguísticas, suas competências em informática, sua participação em associações profissionais ou então suas atividades fora do trabalho. Se essas informações não tiverem valor para o cargo que se candidata, então é melhor não incluir!

Nada melhor que aprender fazendo algo concreto e útil. Marcar algumas aulas particulares para redigir o seu currículo com a ajuda de um professor especializado em CV é uma estratégia 2 em 1. Você aprenderá todo o vocabulário ligado ao seu perfil profissional e terá a certeza que o seu currículo está redigido do modo quebequense e sem erros. Nossas aulas particulares podem ser realizadas presencialmente no Rio de Janeiro (21.3649.1170), em São Paulo (11.5083.2860) ou em sala virtual (contato_sp@ecolequebec.com.br).

Veja alguns modelos de currículos nos seguintes links:

Emploi Québec

Revenu Québec

Workopolis

Foire de l’emploi

Université du Québec à Montréal

Oeil du recruteur

Missão de recrutamento 2017

École Québec

Reconhecida por preparar brasileiros que desejam imigrar para o Québec, a École Québec, parceira da Québec International, foi escolhida para realizar provas de proficiência em francês exigidas pelas empresas participantes da missão.

A École Québec tem cursos de francês e inglês focados na cultura canadense, proporcionando aos seus alunos que se preparem culturalmente e profissionalmente ao mesmo tempo que aprendem o francês. Os professores são do Québec ou brasileiros e franceses que já tiveram uma vivência no por la. Saiba mais sobre as nossas próximas turmas em Sao Paulo, no Rio de Janeiro e em sala de aula virtual.

A missão de recrutamento

Todo ano, empresas da região de Québec em falta de profissionais qualificados se tornam para o Brasil para recrutar. As qualificações dos brasileiros são muito apreciadas no mercado de trabalho quebequense e o fato deles terem o português como primeira língua ajuda na integração. De fato, o português, por ser uma língua latina tem uma estrutura gramatical muito similar. Também, o português tem quase todos os fonemas encontrados no francês.

Como funciona a missão? É mais simples do que parece. As empresas interessadas se inscrevem a missão e divulgam as suas vagas. A Québec International cuida de toda a divulgação e organização da missão, ajudando também para a obtenção dos vistos de trabalho. Até 13 de agosto, os candidatos qualificados e interessados podem enviar os seus currículos e as entrevistas acontecerão online no início de setembro. Quem conseguir uma oferta de emprego poderá pedir um visto de trabalho em conjunto com a empresa que contratou.

Dependendo da vaga, o nível de francês exigido será mais ou menos alto. Para cargos mais técnicos, um nível iniciante pode ser suficiente. Para cargos que exigem maior necessidade de comunicação como analista de sistema e chefe de projetos, o nível avançado é geralmente exigido.

Veja todas as vagas disponíveis no site.

Visto de trabalho e tratamento simplificado

O Emploi-Québec junto ao MICC estabelecem todo ano uma lista de profissões de demanda admissíveis ao tratamento simplificado. A lista atual entrou em vigor em fevereiro de 2015.

Mas o que significa tratamento simplificado?

Quando uma empresa quebequense encontra um profissional estrangeiro que corresponde às suas necessidades em recursos humanos, ela tem que comprovar para o Ministério da imigração que não conseguiu encontrar no mercado quebequense um profissional com as mesmas qualificações. Essa comprovação demanda muito esforço e poucas empresas tem os recursos humanos necessários para conseguir. Por isso, raramente pedem vistos de trabalho temporário para profissionais estrangeiros. No entanto, quando a profissão do estrangeiro faz parte da lista estabelecida pelo Emploi-Québec, a empresa não precisa mais realizar essa comprovação e consegue pedir mais rapidamente e sem tanto esforço um visto de trabalhador temporário.

Existem outras condições para a emissão do visto de trabalhador temporário. Por exemplo, a empresa deve oferecer um salário equivalente ao salário de um profissional canadense que tenha o mesmo perfil. Essa condição visa a proteger os salários dos residentes permanentes e cidadãos da mesma área de atuação.

A maioria das empresas canadenses desconhece o regulamento do tratamento simplificado. Por isso, ao aplicar a uma vaga, avise que seria preciso pedir um visto de trabalho e explique como funciona o tratamento simplificado.

Lista atualizada das profissões admissíveis ao tratamento simplificado para visto de trabalho

Para verificar que a sua profissão realmente corresponde a uma das profissões desta lista, é importante verificar a descrição da profissão no site do Emploi-Québec. Muitas profissões têm apelações diferentes no Brasil e no Québec.

1111 Vérificateurs et comptables : Verificadores e contadores

1121 Spécialistes des ressources humaines : Especialistas de recursos humanos

1222 Secrétaires de direction : Secretários executivas

1223 Conseillers en recrutement : Consultores em recrutamento

1225 Acheteurs : Compradores

2131 Ingénieurs civils : Engenheiros civis

2132 Ingénieurs mécaniciens : Engenheiros mecânicos

2146 Ingénieurs en aérospatiale : Engenheiros em aeroespacial

2147 Ingénieurs informaticiens : Engenheiros da computação

2171 Analystes et consultants en informatique : Analistas e consultores de informática

2173 Ingénieurs et conceptepteurs en logiciel : Engenheiros e designers de software

2174 Programmeurs et développeurs em médias interactifs : Programadores e desenvolvedores de mídias interativas

2175 Développeurs Web : Desenvolvedores Web

2232 Technologues et techniciens en génie mécanique : Tecnólogos em engenharia mecânica

2233 Technologues et techniciens en génie industriel et en génie de fabrication : Tecnólogos em engenharia industrial e engenharia de fabricação

2234 Estimateurs en construction : Orçamentistas civis

2253 Technologues et techniciens en dessin : Tecnólogos em desenho técnico

2281 Techniciens de réseau informatique : Tecnólogos de rede de informática

3111 Médecins spécialistes: Médicos especialistas

3112 Omnipraticiens et médecins en médecine de famille : Médicos – clinico geral

3131 Pharmaciens: Farmacêuticos

3141 Audiologistes et orthophonistes: Fonoaudiólogos

3142 Physiotérapeutes : Fisioterapeutas

3143 Ergothérapeutes : Ergoterapeutas

3152 Infirmiers autorisés : Enfermeiros autorizados

3211 Technologues médicaux et assistants en anatomopathologie : Tecnólogos medicais e assistentes em anatomopatologia

3214 Inhalothérapeutes, perfusionnistes cardiovasculaires et technologues cardiopulmonaires : Inaloterapeutas, perfusionistas cardiovasculares e tecnólogos cardiopulmonares

3215 Technologues en radiation médicale : Tecnólogos em radiologia medical

3233 Infirmiers auxiliaires : Enfermeiros auxiliares

4131 Enseignants au niveau collégial : Professores de nível Cégep

4152 Travailleurs sociaux : Assistentes sociais

5131 Producteurs et gestionnaires de projets – effets visuels et jeu vidéo : Produtores e gerentes de projetos – efeitos visuais e vídeo game

6221 Spécialistes des ventes techniques – commerce de gros : Especialistas em vendas técnicas – varejo

7312 Mécaniciens d’équipement lourd : Mecânicos industrial

7321 Mécaniciens et réparateurs de véhicules automobiles, de camions et d’autobus : Mecânicos de veículos automóveis, de caminhoes e de ônibus

7333 Électromécaniciens : Eletromecânicos