Tabela de pontuaçao – mudanças

A tabela de pontuação do processo dos trabalhadores qualificados (Québec) foi modificada no dia 5 de agosto. O objetivo é deixar o processo mais uniformizado e eficaz. O critério adaptabilidade foi tirado da tabela e o piso de pontuação ajustado para acompanhar essa modificação (menos 6 pontos). Assim, quem precisava de pontos no critério adaptabilidade não precisa mais, tirando a necessidade de realizar uma entrevista e deixando o processo mais uniformizado.

Essa mudança é aplicável imediatamente tanto para os que ainda enviarão a sua papelada quando para os que já mandaram.

Nossa tabela de pontuação já está atualizada. Pode encontrá-la neste link.

Palestra – PEQ

O programa de experiência quebequense iniciou em 2010 e permite que os estrangeiros que vivenciaram uma experiência quebequense relevante (estudos ou trabalho) possam pedir a residência permanente. Vários ex-alunos da École Québec já realizaram uma experiência válida e estão com o visto em mãos.

Na sexta-feira, dia 27/06, Catherine, diretora da École Québec, realizou uma palestra explicando os detalhes do PEQ a partir de Saint-Léonard de Portneuf, sua cidade natal.

Para acompanhar melhor a palestra, recomendamos imprimir este pdf que também será útil para realizar as suas pesquisas.

Download do PDF

A versão editada da palestra sobre o PEQ está no ar: https://www.youtube.com/watch?v=VQzMOADvcmk

Guia do candidato à prova “Québec en tête” da ÉQ

Sous forme d’une entrevue Skype, d’une durée maximale de 20 minutes, la première partie de l’évaluation a pour but de mesurer vos connaissances grammaticales ainsi que votre expression orale. Vous répondrez oralement à 5 questions et aurez une dictée à écrire. À un autre moment, vous disposerez de 20 minutes pour regarder un vidéo et répondre à trois questions puis 40 minutes pour rédiger un texte portant sur un des deux thèmes qui vous seront fournis.

Si votre candidature est présélectionnée par une des entreprises qui participent à la mission, vous recevrez un courriel dans lequel trois horaires vous seront offerts afin de réaliser l’évaluation de votre niveau de compréhension orale et d’expression écrite, puis plusieurs horaires pour la réalisation de l’entretien Skype. Nous vous demandons d’y répondre au plus vite en mentionnant vos disponibilités puisque les résultats doivent être remis rapidement aux entreprises participantes.

Déroulement de l’entretien Skype

  1. Dans un premier temps, vous aurez à répondre oralement à cinq questions de niveaux différents (A1 à C1). Ces questions évalueront votre capacité à :
    1. vous présenter;
    2. aborder des sujets familiers en lien avec votre travail, vos passe-temps, vos préférences, vos expériences passées et vos intentions futures;
    3. demander des informations, expliquer, donner des conseils et informer;
    4. exprimer clairement les avantages et les inconvénients d’un thème particulier, donner son opinion sur un sujet d’actualité;
    5. expliquer un point de vue complexe de manière claire et structurée.
  2. Deuxièmement, l’examinateur vous dictera trois phrases de différents niveaux que vous devrez rédiger et corriger en 10 minutes.

Compréhension orale et expression écrite

Au moment que vous aurez préalablement choisi (trois options vous seront offertes), vous recevrez un courriel comportant les épreuves de compréhension orale et d’expression écrite. Vous aurez une heure pour répondre au courriel avec vos questions. L’adresse courriel est testfrancais@ecolequebec.com.br.

  1. Ce courriel comportera un lien vers une vidéo et trois questions portant sur celle-ci.
  2. De plus, vous recevrez trois thèmes de rédaction. Vous devrez en choisir un et rédiger un texte d’environ 200 mots portant sur le thème choisi.

Résultats

Suite à l’évaluation, un rapport sera envoyé à Québec International et au candidat décrivant le niveau pour chacune des compétences.

Plagiat

Nous déconseillons fortement à tous les candidats d’avoir recours au plagiat puisque si nous identifions que vous avez utilisé un outil de traduction de textes ou les services d’un francophone, une note sera ajoutée définitivement à votre dossier chez Québec International. Cela signifie que lors de missions de recrutement futures, cette note sera toujours à votre dossier.

Nous recommandons également de ne pas divulguer d’informations à propos de cette épreuve à d’autres candidats. Cela pourrait avoir un impact négatif sur votre propre processus de sélection.

Outils permis : dictionnaires, Bescherelle, grammaires et correcteurs de textes (Word, antidote, etc.).

Outils non permis : outils de traduction de textes et services d’un professionnel (traducteur, professeur, ami francophone, etc.).

Questionnement

Pour toute question en lien avec cette épreuve de français, entrez en contact par courriel à testfrancais@ecolequebec.com.br.

Três dicas para sobreviver ao inverno quebequense

Para quem nunca vivenciou temperaturas abaixo de zero, as terras geladas do hemisfério norte podem assustar. O Québec é o país do inverno e quem decide adotá-lo, precisa encará-lo. Seguindo algumas regras básicas e com uma boa dose de vontade, abertura e atitude positiva, qualquer um sobrevive e aprende a aproveitar dos prazeres do frio quase polar. Monique, Juliana e Vinicius, três ex-alunos da École Québec, dão algumas dicas para se adaptar rapidamente à rigorosa meteorologia quebequense.

1. Se vestir adequadamente para não congelar.

Para aguentar os meses de frio, é bom investir em roupas de qualidade: comprar um bom casaco, luvas quentinhas, um gorro que cubra bem as orelhas e botas impermeáveis. Vale lembrar que a tecnologia de tecidos é muito desenvolvida no Canadá, o que permite encontrar casacos que protegem muito bem sem serem pesados demais – nem no corpo, nem no bolso. Para os mais friorentos, também existe a técnica “cascas de cebola”, que consiste em vestir várias camadas de roupas uma em cima da outra. E se engana quem acha que ficar coberto da cabeça aos pés é feio, de mau-gosto ou prova da ausência de estilo. A moda de inverno é criativa, pode ser colorida e até mesmo elegante.

A cabofriense Monique Caetano que imigrou para o Canadá faz um ano, aprendeu essa primeira regra desde que chegou. Pois ela deve enfrentar o frio diariamente para passear e brincar na neve com a cachorrinha Plié, que veio do Brasil com ela.

“Meus primeiros dias aqui foram difíceis porque eu não tinha um bom casaco, nem botas adequadas para o frio canadense. Mas depois que comprei boas roupas e aprendi a me vestir de acordo com a temperatura, eu saio de casa para passear mesmo que faça -30o C! O segredo é se agasalhar bem”, diz Monique, que admite não gostar do vento e muito menos da chuva de inverno, aquela que gela ruas e deixa calçadas escorregadias.

2. Se manter ativo

Outro fator explica por que Monique não sofreu tanto durante seu primeiro inverno em Montreal: ela continuou em atividade. Monique adora quando neva e se amarra em patinação no gelo. Para os esportes de inverno, o Canadá é um verdadeiro paraíso: esqui alpino, snowboard, caminhada nos bosques, etc. O que não falta é opção para continuar ativo durante a estação mais longa do ano.

Ao contrário de Monique, a carioca Juliana Noronha não é muito fã de esportes na neve. Ela prefere academia. Juliana mora na cidade de Québec, que fica a 250 km ao norte e alguns graus abaixo de Montreal. Mesmo sem ter adotado os esportes de inverno, Juliana aproveita a estação para fazer coisas que não faria tanto no verão. Gosta de ficar mais sossegada em casa, assistir a seriados e filmes, o que não a impede de respirar o ar muito fresco num SPA de inverno ou sair para experimentar novos restaurantes. Porém, ela confessa, o inverno dificulta a locomoção.

“Às vezes fico incomodada com o fato de não poder andar na rua na hora que eu quiser, e de uma simples ida à farmácia se tornar uma maratona de colocar várias roupas. Uma coisa que ajuda e muito a sobreviver no inverno é comprar um carro. Porque sem um carro, você já pensará três vezes antes de ir a algum lugar, por mais que os ônibus tenham horário, cinco minutos esperando no ponto já não é muito agradável”, explica a carioca. A cidade de Québec não possui metrô nem cidade subterrânea, como é o caso de Montreal.

O que mais surpreendeu Juliana nem foi o frio extremo ou o volume de neve, mas sim a duração do inverno. “Apesar de a estação durar três meses, na prática o inverno dura no mínimo cinco meses. É isso que acaba explicando aquelas cenas de filme que mostram as pessoas correndo para o sol no parque quando chega o verão. Foi exatamente assim que eu fiquei, precisando do sol”. Mas para suportar estes longos meses de pouca claridade, ela já encontrou um jeito de acelerar o tempo: como muitos Quebequenses, ela escapa uma semana para o Caribe com o marido.

3. Relativizar a adversidade

Para o gaúcho Vinicius da Souza, que também mora na cidade de Québec, a adaptação ao frio foi a parte mais fácil da integração. Ele diz preferir um dia de -10o C do Québec do que um de 5o C no Brasil. “Apesar de todo o extremismo usado pra relatar o frio e as situações adversas do inverno do Canadá, posso dizer que prefiro o inverno daqui ao inverno no Brasil. Aqui no Québec, só passamos frio quando queremos. No Brasil, as casas não são preparadas para o frio. Nem as roupas protegem com a mesma eficiência”, justifica.

Antes de imigrar, Vinicius pesquisou bastante na internet sobre a vida em Québec durante o inverno, o que facilitou a adaptação. “Informação é a chave pra enfrentar qualquer adversidade”, assegura. Chegar em Québec com a mente aberta também foi essencial para encarar a mudança radical de temperatura. “Se expor a situações novas como uma oportunidade de crescimento pessoal ajuda muito. Ter o espírito aberto e vencer uma situação difícil como um desafio faz com que tu se sintas parte do que é o Québec. Senão, como se sentir parte desta terra sem sentir, de fato, o frio?”, analisa.

Na opinião de Vinicius, a melhor dica para sobreviver ao inverno é relativizar as adversidades e lembrar das razões que motivaram a imigração. “Não há frio pior do que o de um cano de revólver encostando na tua pele. Não há frio pior do que o do coração de um corrupto desviando verbas de um hospital e matando seres humanos de todas as idades, ou ainda, negar educação à população para mantê-la sob domínio estatal. Não há frio pior do que a falta de justiça e outras representações de coisas negativas que temos no Brasil”, enfatiza.

É… na verdade, sobreviver ao inverno quebequense não é tão difícil assim…

Québec procura enfermeiros

É urgente. O Québec está à procura de profissionais da saúde. De acordo com as previsões do Ministério da Saúde e dos Serviços Sociais da província, 28.000 vagas terão que ser preenchidas nos próximos cinco anos. Mais do que nunca, os enfermeiros brasileiros estão na mira.

O sistema de saúde do Québec é público e é bom. Porém, o envelhecimento da população e a falta de profissionais o enfraquece e esses dois fatores influem sobre a qualidade dos serviços. Para reverter a situação, Québec olha para o exterior e favorece a imigração de enfermeiros. Foi pensando nisso que o governo resolveu mudar as regras do processo de imigração para os profissionais da saúde. Desde agosto de 2013, os enfermeiros ganham 16 pontos em vez de 12. Eles são tratados como candidatos prioritários.

Viviane, enfermeira e candidata à imigraçaoPara poder se candidatar, é necessário ter um diploma universitário na área e experiência profissional. Como no processo comum, as pessoas com menos de 35 anos ou com filhos são as preferidas. Viviane Gesuato tem 35 anos e trabalha como enfermeira na ESF (Estratégia Saúde da Família) na Zona Norte de São Paulo. Soube do processo de imigração através de um amigo, e foi atrás de mais informações.

“Me interessei pelo assunto e agendei uma palestra de imigração ministrada pelo governo do Québec, onde pude conhecer melhor a proposta e esclarecer algumas dúvidas, o que me deixou mais segura para tomar a decisão da mudança.”

Viviane estudou francês na École Québec durante cerca de dois anos e se preparou durante três meses para fazer a prova do TCFQ, o Test de Connaissance du Français pour le Québec. Solicitou o Certificat de sélection du Québec (CSQ) e fez a entrevista oito meses depois. Agora só falta dar entrada no processo federal, iniciar a equivalência de diploma e obter junto à Ordem dos enfermeiros do Québec (OIIQ) o reconhecimento dos anos de experiência.

“Tenho várias expectativas, mas a principal é ter reconhecimento profissional. Tanto na questão financeira quanto no respeito à profissão. Além de viver uma nova experiência, quero poder viver em melhores condições, com mais segurança, lazer e saúde.”

Em Québec, o salário anual de um enfermeiro equivale, em média, a US$51 mil. Os supervisores recebem cerca de US$ 61 mil por ano. O crescimento profissional dentro da área é real e pode ser rápido, pois a experiência no Brasil é valorizada. Em apenas um ano, a paulista Ana Claudia de Arruda passou de estagiária a supervisora.

“Passei na entrevista de estágio do Hôpital Laval, na cidade de Québec, em janeiro de 2011. Durante o estágio, tinha sempre um enfermeiro comigo que me avaliava todos os dias. Depois de 30 dias, me tornei CEPI (candidata a enfermeira) e fiquei assim até setembro 2011, quando fiz as provas, prática e escrita, da Ordem dos Enfermeiros.  Me tornei enfermeira clínica, o hospital reconheceu todos os meus anos de experiência profissional e consequentemente ajustaram o meu salário. (…). Em dezembro, tive a oportunidade de fazer uma entrevista para o cargo de coordenadora de enfermagem numa casa de idosos, pois minha experiência no Brasil sempre foi em gestão. Comecei nesse trabalho em janeiro de 2012 e estou lá até hoje.”

Durante esse processo, Ana Claudia aprendeu muito. Apesar das falhas que existem no atual sistema da província, ela conseguiu evoluir profissionalmente, ampliando seus conhecimentos na área.

“O sistema de saúde do Québec é deficitário, como todo sistema de saúde público em qualquer lugar do mundo. Os hospitais são antigos, datam da década de 60, mas eles têm tecnologia de primeiro mundo, aparelhos novos e super tecnológicos. Para trabalhar é super interessante pois você aprende novas coisas, com novas tecnologias e procedimentos atualizados.”

A adaptação ao mercado de trabalho quebequense será muito mais fácil para quem tem um bom domínio da língua. Ana Claudia sabe disso e tem só um conselho para dar às pessoas que querem seguir o caminho dela.

“Estudem francês, estudem francês e estudem francês! É fácil se adaptar às pequenas diferenças técnicas e de procedimento, mas se você não tiver um bom francês, se você não se comunica bem, não consegue passar na prova da Ordem, não consegue ser respeitada pelos seus novos colegas de trabalho no hospital e desse jeito a sua integração vai ser muito difícil. Estudem o máximo de francês possível antes de vir, isso ajudará muito na integração no mercado de trabalho.”

E para Ana Claudia, não há dúvida! A École Québec é o melhor lugar para se preparar a imigrar.

“Me ajudou muito, pois aprendi tudo sobre a cultura do Québec. Aprendi a respeitar a forma dos quebequenses verem a vida, para poder me integrar na sociedade. Na École aprendi o francês do Québec, com o sotaque do Québec, o que ajuda a entender as pessoas aqui”.

E aí, partiu Québec?!

 

Missão de recrutamento 2013: os resultados

Em setembro de 2013, a Québec International organizou uma terceira missão de recrutamento no Brasil. Dessa vez, a missão foi realizada virtualmente e ofereceu o serviço de recrutamento internacional para novos setores como usinagem e turismo. Oito empresas participaram, divulgando um total de 40 vagas.


Esse ano, nos orgulhamos em informar que a École Québec foi escolhida para administrar as provas de nivelamento de francês exigidas pelas empresas participantes. Foram mais de 50 candidatos avaliados e as empresas apreciaram a avaliação precisa que providenciamos.

Ainda não foi divulgado o número de candidatos contratados, mas cinco dos nossos alunos que receberam uma oferta de emprego já estão esperando o visto de trabalhador temporário. Inclusive, uma empresa pagou a viagem de um aluno para que ele fosse ao Québec no intuito de realizar testes técnicos na área de usinagem.

Chegar mais rápido no Québec, o que é o PEQ?

Vista a demora do processo de imigração, alguns interessados procuram novos caminhos para morar no Canadá. Existem outras opções interessantes graças ao programa de experiência quebequense (PEQ). Trata-se de conseguir rapidamente o CSQ depois de um ano trabalhando num emprego especializado ou depois de obter um diploma quebequense. O cônjuge e os filhos também receberão o CSQ depois de preencherem os requisitos.

Trabalhar no Québec

Cada vez mais empresas quebequenses contratam funcionários estrangeiros para superar uma falta de mão de obra. Desde fevereiro de 2012, os empregadores que desejam contratar trabalhadores estrangeiros temporários especializados se beneficiam de um processo simplificado caso o cargo oferecido esteja na lista das 44 profissões com discrepância grande entre a oferta e a demanda de mão de obra.

Em outubro de 2011 aconteceu a primeira missão de recrutamento para profissionais da área de tecnologia da informação no Brasil, promovida pela Québec International. O sucesso foi tamanho que realizaram outras em 2012 e 2013.

Existe também a possibilidade de ser contratado por uma empresa quebequense sem ser através de uma missão. É importante saber que a cultura na procura de um emprego no Québec é mais pró-ativa que no Brasil. Não é preciso esperar uma vaga aparecer no jornal ou na Internet para se candidatar. Se você souber de uma empresa que trabalha na sua área de atuação, pode enviar o seu currículo acompanhado de uma carta de apresentação explicando que você é estrangeiro, mas estuda francês com objetivo de um dia trabalhar e viver no Québec. Como não são todas as empresas que conhecem os trâmites do visto de trabalho, vale a pena incluir, na sua carta de apresentação, informações e links demonstrando que esse processo foi simplificado.

Estudar no Québec

Outro jeito de chegar mais rapidamente no Québec é indo para estudar. Quando o estudante está prestes a receber seu diploma, ele pode pedir seu certificado de seleção do Québec que lhe proporcionará em seguida um visto de residência permanente. Existem alguns critérios como nível de francês e o tipo de diploma.

É interessante relevar que o cônjuge que acompanha o estudante estrangeiro tem direito a um visto de trabalho aberto, ou seja pode trabalhar em qualquer empresa e área e assim pagar as despesas ligadas ao custo de vida.

 

Como escolher o curso e inscrever-se

Para escolher o melhor curso, devem ser consideradas algumas variáveis como preço, duração e demanda no futuro mercado de trabalho, mas o principal, é escolher uma formação que corresponda aos seus interesses. Para ajudar na escolha, visite o site do Emploi Québec sobre programas de estudo. Também, pode marcar conosco uma aula de orientação vocacional para o Québec.

Cada instituição tem critérios diferentes de avaliação dos estudantes, mas na maioria das vezes, não usam vestibulares. Será necessário mandar curriculo, histórico escolar de todos seus estudos anteriores a partir do colegial, carta de motivação e provavelmente o seu resultado do FLI, prova de francês que avalia a compreensão oral e escrita. Cada instituição estabelece fatores diferentes para avaliação do dossiê e algumas exigem a avaliação comparativa de diplomas realizada pelo Ministério da Imigração.

Bolsas

Cada faculdade tem um certo número de bolsas destinadas aos estrangeiros. Normalmente, para conseguir uma bolsa de nível universitário precisa demonstrar resultados muito altos.

Se você escolher o DEC, o Cégep International oferece dois tipos de bolsas para estrangeiros: uma é de isenção dos “frais de scolarité” (mensalidades) e a outra é de ajuda de custo. Cada Cégep tem direito a duas bolsas de isenção. Por isso, talvez seja mais fácil conseguir bolsa escolhendo um Cégep mais afastado dos grandes centros.
Empregos:
www.emploi-quebec.net
www.jobboom.ca
www.monster.ca

10 motivos para estudar francês

Educação sempre é um bom investimento, mas qual curso escolher para dar um “upgrade” na sua carreira? Veja 10 motivos para estudar francês!

Sua Vida Profissional

1. Ter um diferencial no mercado de trabalho. Hoje em dia saber inglês e espanhol já não é mais um diferencial. Para se destacar em sua carreira, o profissional deve ter uma terceira língua que o coloque acima da concorrência.

 

2. Poder comunicar-se em francês no trabalho. Segundo dados de 2011, existem 520 empresas de origem francesa no Brasil; sem contar com as empresas brasileiras que constantemente fazem negócios com países de língua francesa. Entre elas pode-se destacar algumas de excelência como: Peugeot, Renault, Carrefour, UBS, Michelin, Alstom, Danone, Accor, Nestlé e Roche.

http://oglobo.globo.com/economia/crescimento-do-brasil-atrai-mais-empresas-francesas-3727644

3. Estar pronto para aproveitar oportunidades de trabalho no exterior.

4. Qualificar-se para processos de imigração de nações francófonas.

5. Realizar intercâmbios ou efetuar formações universitárias em faculdades francófonas de grande nome. Vale a pena conferir as bolsas de estudo que existem para estudantes brasileiros.

Suas Aventuras Culturais

6. Integrar-se na cultura francesa. O primeiro passo para se inserir em uma nova cultura é através de sua língua e a cultura francesa é uma das mais ricas e interessantes do mundo. Você vai conhecer uma forma diferente de ver o mundo através do cinema francês e ouvir Catherine Deneuve sem legenda; ler Flaubert, Baudelaire ou Rimbaud sem traduções; ouvir Edith Piaf e Charles Aznavour como devem ser ouvidos.

7. Fazer novas amizades. Ao viajar para um país em que se fala francês, o melhor modo de cativar a amizade e, porque não, o amor é através da língua, pois este é um povo que a valoriza como um tesouro nacional. O francês é uma língua oficial em 29 países. Você sabia que a Bélgica, Suíça, Algéria, Marrocos, Madagascar, Guadalupe e Martinica entre outros falam francês?

Seu Lugar No Mundo

8. Aproveitar a popularidade do Brasil na cena mundial. Com o desenvolvimento do Brasil como um país de forte apelo internacional o brasileiro deve estar preparado para as novas oportunidades comerciais, profissionais e pessoais que surgirão na próxima década.

9. Criar uma rede internacional de contatos. No atual mundo fortemente globalizado você pode ainda desenvolver uma rede de relacionamentos com profissionais de outros países, ou ser alocado para outro país ou você mesmo desenvolver as conexões que sua empresa precisa através de seus novos conhecimentos linguísticos.

10. Conhecer melhor o mundo. Ao falar outras línguas, sua intereção e conhecimento do mundo se expandem e você se torna realmente um cidadão da aldeia global, pronto para as questões e rápidas transformações mundiais.

Últimas mudanças no processo de imigração para o Québec

A École Québec fica feliz em anunciar que a partir do dia 1° de agosto de 2013, o processo de imigração pelo Québec voltou a aceitar pedidos de CSQ (certificado que comprova que o governo do Québec o selecionou como imigrante qualificado) de candidatos de todas as áreas de formação. No entanto, algumas mudanças dificultam a obtenção do tão desejado CSQ como a exigência de alcançar o nível B2 de francês para pontuar no critério conhecimento de francês.

Catherine Potvin, diretora da École Québec, acredita que essas decisões resultarão no aumento do uso da língua francesa na comunidade imigrante da província e a diminuição dos custos ligados à francisation e integração dos recém-chegados. Ela comentou: “As mudanças significam, para alguns, uma espera maior e muito empenho, mas quando estiverem pagando impostos no Québec, todos apreciarão saber que o dinheiro público é usado de maneira cuidadosa.”

Quais são as mudanças?

Prioridade de tratamento e abertura a qualquer área de formação

A partir do dia 1° de agosto de 2013, os pedidos serão tratados na seguinte ordem:

  1. Pedidos de CSQ com base no programa de experiência quebequense
  2. Pedidos de CSQ com oferta de emprego validada
  3. Pedidos que obtém pontos no fator Área de formação
  4. Outros pedidos com qualquer área de formação

Conhecimento linguístico

A pontuação ligada ao conhecimento linguístico foi alterada. Agora, para obter pontos no critério francês, é preciso atingir pelo menos o nível B2. Segue a planilha de pontuação para o requerente principal:

Nas École Québec do Rio de Janeiro e de São Paulo, temos cursos intensivos que permitem, se forem realizados com seriedade e dedicação, atingir o nível B2 em menos de 1 ano.

Áreas de formação

Algumas profissões novas foram incluídas à lista de áreas de formação que pontuam como artes gráficas (comunicação gráfica), engenharia agrónoma e tecnólogo em educação infantil. Confira se sua área de formação é aceita.

Número máximo de pedidos

O Ministério limita a 20 000 pedidos de CSQ no programa regular de trabalhadores qualificados. Como esse número de pedidos é muito difícil de ser alcançado, a previsão é de que essa mudança não tenha efeito negativo.

Pontuação

Se quiser verificar sua pontuação, entre em contato com o contato_sp@ecolequebec.com.br e enviaremos a nossa planilha de pontuação atualizada.

Empregos em TI e usinagem

Diplomados nas áreas de TI e Usinagem, as empresas da região de Québec precisam de vocês!


Se você deseja viver uma experiência de trabalho no exterior, uma missão de recrutamento virtual esta sendo realizada. Consulte o site Québec na Cabeça para conhecer as vagas e enviar seu currículo.

Se você for pré-selecionado, será convocado para fazer uma entrevista on-line entre 09 e 13 de setembro de 2013.

A região metropolitana de Québec, com seu constante crescimento econômico, proporciona uma incomparável qualidade de vida e destaca-se pela sua cultura de língua francesa situada em plena América do Norte.

Aproveite essa chance de expandir suas perspectivas de carreira!

www.quebecnacabeca.com/missoesbrasil

 

O processo numa tabela

Com ajuda dos nossos alunos que fizeram ou estão fazendo o processo de imigração, fizemos uma planilha resumindo os custos e tempo de espera de cada etapa do processo. Se identificarem outros custos, não hesitem em entrar em contato: contato_sp@ecolequebec.com.br.


Nota 1: A École Québec trabalha com os candidatos a imigração há mais de 7 anos. Nesses anos, a demora de cada processo (provincial e federal) variou muito por motivos diversos. Nas últimas palestras, os representantes em imigração deram a entender que o tempo de espera diminuiria.

Nota 2: A partir do início do curso de francês na École Québec e dependendo do nível de demanda (prioritário ou não) da sua profissão.

Oportunidades de emprego – TI, turismo e usinagem

Depois de duas missões de recrutamento bem sucedidas em 2011 e 2012, a Québec International oferece para as empresas quebequenses uma terceira missão que desta vez será virtual e aberta a mais profissões (principalmente nas áreas de TI, usinagem e turismo). Os detalhes sobre as vagas serão divulgados em julho depois das empresas confirmarem a participação e a missão em si acontecerá em setembro de 2013.

Nossos conselhos:

  • Estude muito francês.
  • Prepare seu currículo e carta de apresentação conforme as normas quebequenses.
  • Fique atento às novidades em relação aos prazos e exigências.
  • Siga-nos no Twitter. Manteremos os nossos seguidores informados.

Os contratados ganharão um visto de trabalho temporário e se tiverem um nível de francês satisfatório depois de um ano trabalhando poderão conseguir residência permanente. O cônjuge e os filhos também têm direito a um visto de trabalho ou de estudante.