Estudar no Canadá: uma estratégia para a imigração

A feira Edu Canadá lhe oferece a oportunidade de conhecer diversas instituições de ensino canadenses, de escola de idiomas até colleges e faculdades. A feira passará pelas seguintes cidades: Campinas: 15 de setembro, São Paulo: 17 e 18 de setembro, Brasília: 20 de setembro, Rio de Janeiro: 22 de setembro, Curitiba: 24 de setembro, Porto Alegre: 25 de setembro, Belo Horizonte: 27 de setembro e Recife: 29 de setembro

Formação e imigração

Cada vez mais estrangeiros escolhem o Canadá para realizar os seus estudos técnicos ou pós-colegiais. Além do custo geralmente mais baixo do que em outros países, o governo canadense permite aos seus estudantes estrangeiros trabalhar até 20 horas semanais durante os semestres e até 40 horas semanais nas férias. Além disso, ao obter um diploma de lá, é oferecido um visto de trabalho aberto que permite trabalhar em qualquer área. Esse visto de trabalho terá a mesma duração que o curso que conferiu o diploma.

Para casais, as condições são ainda mais interessantes pois o cônjuge ganha visto de trabalho aberto durante toda a duração do curso.

Se o seu objetivo é a residência permanente no Canadá, estudar lá é uma estratégia cada vez mais escolhida. Na província do Québec, por exemplo, o fato de obter um dos seguintes diplomas lhe dá direito à residência permanente: D.E.P. de 1800 horas (técnico), D.E.C. technique (tecnólogo), Baccalauréat (bacharelado), Maîtrise (mestrado) e Doctorat (doutorado). A única  exigência além do diploma é ter um nível de francês de pelo menos B2 (intermediário-avançado). Outra experiência canadense que facilita a obtenção da residência permanente é trabalhar em um emprego qualificado por 12 meses. Como o fato de concluir estudos no solo canadense dá direito ao visto de trabalho aberto da mesma duração que o curso, as chances de conseguir a RP por experiência de trabalho são bem maiores realizando um curso lá.

Exigências no idioma

Para iniciar um curso no Canadá, é preciso ter um certo conhecimento do idioma, principalmente na compreensão oral e escrita. A exigência é diferente para cada curso. Algumas instituições têm provas de proficiências próprias ou confiam na palavra do aluno que promete que terá o nível necessário ao iniciar o curso e outras exigem que envie um certificado comprovando um certo nível. As provas mais exigidas são IELTS Academic para o inglês e TFI para o francês. A École Québec em São Paulo e no Rio de Janeiro é centro aplicador do TFI.

Venha se preparar conosco para os seus estudos! Nossos cursos são focados no Canadá e preparam para as principais provas de proficiência exigidas nos diversos programas de imigração e de seleção das instituições de ensino.

Os principais caminhos que nossos alunos escolhem

Este post é um resumo das estratégias mais escolhidas pelos nossos alunos. Para conseguir mais informações a respeito dos programas de imigração ao Canadá, participe das nossas palestras oferecidas em São Paulo e no Rio de Janeiro e, em breve, online. Siga-nos no Facebook ou peça para receber a nossa newsletter.

Programa de trabalhador qualificado do Québec

Nós temos ex-alunos espalhados pelo Canadá e a maior parte está na província do Québec. A razão é simples: o ministério de imigração de lá estava promovendo bastante o seu principal programa de imigração que sempre foi um dos mais flexíveis e abertos do mundo.

Nos últimos anos, o MIDI limitou a quantidade de candidaturas de estrangeiros à residência permanente. Em junho de 2016, foram abertas 5 mil vagas que se esgotaram em menos de 5 horas. Ainda neste ano, foram prometidas mais 5 mil vagas, mas a data ainda não foi divulgada. Porém, já é possível criar uma conta na plataforma Mon Projet Québec.

A partir de 2017, o MIDI passará a escolher seus candidatos do mesmo jeito que está sendo feito no Express Entry, chamando os inscritos com as maiores pontuações.

Nossos alunos ainda preferem esse processo que, apesar de ser demorado e um pouco instável no momento, dá direito a alguns benefícios, além de não ser tão caro quanto outros programas, possibilitando que haja tempo de se organizar financeiramente.

Para saber se você tem perfil para esse processo de imigração, é possível realizar uma avaliação no próprio site do governo. Se quiser ter uma ideia mais exata da sua pontuação, criamos uma planilha de excel em português com os equivalentes de cada curso no Brasil. Basta solicitá-la por e-mail: contato_sp@ecolequebec.com.br

Programa de experiência quebequense (PEQ) – estudo

Esse ano, muitos dos nossos alunos escolheram esse caminho para chegar o quanto antes no Québec, uma vez que o processo estava demorando muito. O PEQ – estudo é um programa que dá direito ao CSQ após se formar no Québec. É importante ressaltar, contudo, que nem todos os diplomas são válidos para o PEQ-estudo. Os diplomas aceitos são: D.E.P. de 1800 horas (Ensino Médio Técnico), D.E.C. (Tecnólogo de 3 anos), baccalauréat (Bacharelado de 3 ou 4 anos), maîtrise (Mestrado e MBA) e doctorat (Doutorado).

Temos toda a informação necessária em um vídeo do youtube.

Vale observar que o cônjuge do estudante internacional ganha visto de trabalho aberto podendo trabalhar em qualquer área e empresa e assim cobrir os gastos com aluguel, comida, seguro e transporte durante a o tempo do curso. Os estudantes estrangeiros podem trabalhar 20 horas semanais durante os estudos e 40 horas semanais durante as férias. Eles ganham, após a conclusão do curso, um visto de trabalho aberto de duração igual ao curso realizado.

Programa de experiência quebequense (PEQ) – trabalho

O PEQ-trabalho é um programa que dá direito ao CSQ após um ano de trabalho remunerado em tempo integral.

Está acontecendo no momento a missão de recrutamento da Québec International que ajuda empresas a contratar brasileiros, mexicanos e colombianos nas áreas de TI e Usinagem fora do Canadá. As vagas estão sendo publicadas no site Quebec na cabeça. O nível de francês exigido depende da vaga. Já vimos, por exemplo, profissionais de usinagem experientes sendo contratados com nível de francês bem básico. No caso de programador de TI, muitos alunos nossos cursando o nosso nível B1 foram contratados e conseguiram se adaptar ao emprego logo que chegaram. Se o cargo for de analista, chefe de projeto, etc., o nível de francês exigido é muito mais alto: B2-C1 para cima.

Outra estratégia bem popular dentro do PEQ-trabalho é fazer um curso no Canadá que dá direito, após a sua conclusão, a um visto de trabalho aberto. Se conseguir arrumar um emprego, o estrangeiro poderá obter o CSQ pela experiência de trabalho de um ano. Nesta situação, aconselhamos escolher um curso que seja de uma área de demanda para ter mais facilidade de conseguir um emprego depois.

Canadian Experience

O Canadian Experience e o PEQ-trabalho são programas muito similares que dão direito a pedir a residência permanente após um ano de trabalho remunerado em tempo integral. A principal diferença é o local onde foi realizada a experiência de trabalho. Para o PEQ, a experiência deve ser realizada na província de Québec, ao passo que para o Canadian Experience não pode ser realizada na província de Québec.

É muito importante ressaltar que o emprego tem que ser de nível de qualificação (NOC) 0, A ou B. Resumindo, 0 seria o nível gerencial, A um nível profissional do ensino superior e B um nível profissional técnico.

Os nossos alunos que escolhem esse programa conseguiram com uma dessas três estratégias:

  1. Fazer um curso que dá direito, após o término, a um visto de trabalho aberto da mesma duração do curso. O risco é não conseguir um emprego depois de concluir o curso.
  2. Ser transferido. Alguns alunos que trabalhavam numa multinacional aqui no Brasil e conseguiram ser transferidos para o Canadá.
  3. Conseguir ser contratado por uma empresa canadense. Algumas áreas de trabalho têm falta de profissionais e é possível que uma empresa contrate um trabalhador estrangeiro. Para isso, a empresa terá que comprovar ao governo que realmente não conseguiu encontrar um profissional com esse perfil no mercado local o que poucas empresas se disponibilizam a fazer.

A vantagem do Canadian Experience em relação ao PEQ é no caso de casais em quais um dos cônjuges vai estudar e o outro consegue trabalhar. Nos 2 programas, o cônjuge do estudante internacional ganha visto de trabalho aberto, más só no Canadian Experience o cônjuge com visto de trabalho aberto poderá se candidatar ao Canadian Experience após um ano de trabalho remunerado de categoria 0, A ou B.

Express Entry

O Express Entry não é um programa de imigração e sim um banco de candidatos a imigração. Cada inscrito atinge uma certa pontuação e pode participar de um dos três programas descritos abaixo:

  1. Federal skilled worker program no qual o candidato tem um ano de experiência de trabalho em um nível de qualificação 0, A ou B;
  2. Federal skilled trades program no qual o candidato tem dois anos de experiência de trabalho num nível de qualificação B junto com uma oferta de emprego ou certificação canadense;
  3. Canadian experience class no qual o candidato tem um ano de experiência de trabalho remunerado no Canadá.

A maioria dos estrangeiros que consegue a residência permanente pelo Express Entry recebeu uma oferta de emprego ou foi chamado por uma província, pois é um fator que dá 600 pontos e garante ser convocado na próxima chamada. Em março, um casal de alunos foi chamado pela província de Ontário, por exemplo.

Conseguir uma oferta de emprego válida é relativamente difícil. Conforme mencionado, para poder oferecer um emprego a um estrangeiro, a empresa canadense deve comprovar ao governo que não encontrou nenhum profissional com as mesmas qualificações no mercado de trabalho local.

Na chamada de maio de 2016, o candidato com menor pontuação que foi convocado tinha 484 pontos. Para conseguir essa pontuação, tem que ter um perfil muito bom, menos de 30 anos, com alto nível de conhecimento do idioma, nível superior, etc. Na verdade, os candidatos que conhecemos que entraram pelo Express Entry foram chamados por uma província ou tinham um ano de experiência de trabalho canadense.

Verifique a sua pontuação no Express Entry aqui! Nós gostamos bastante do jeito que o cálculo da pontuação foi apresentada neste blog.

Se você precisar de ajuda mais específica para escolher um curso, por exemplo, podemos marcar uma orientação particular. Entre em contato para obter maiores informações.

Nós sempre tentamos ajudar os nossos alunos para que façam o processo de imigração sozinhos, sem ajuda de um consultor de imigração para diminuir os custos e guardar dinheiro que poderá ser muito útil nos primeiros meses no Canadá. E se o seu perfil for mais complicado, temos consultores de imigração e de relocalização para indicar.