Testemunho do Eduardo – missão 2017

Eduardo é engenheiro da computação e estuda na École Québec de São Paulo. Em julho, ele se candidatou a 6 vagas diferentes divulgadas no site da missão de recrutamento Québec en Tête. Ele teve uma primeira entrevista de 5 minutos com todas. Nesta primeira entrevista, fizeram algumas perguntas sobre assuntos pessoais como: por que quer imigrar, há quanto tempo pesquisa sobre o assunto, se é casado e se tem filhos. Duas dessas empresas marcaram uma segunda entrevista que durou cerca de uma hora em qual misturaram perguntas sobre vida pessoal e conhecimentos técnicos. No final, teve também um teste técnico.
Foi depois de assistir uma palestra sobre imigração que ele começou a estudar na École Québec um ano atrás. Antes de se candidatar, ele marcou algumas aulas particulares para montar e revisar o currículo e uma carta de apresentação em francês.
Antes de ser chamado para uma entrevista, ele recebeu um convite para participar da prova Québec en Tête, realizada pela École Québec. Ele obteve o nível B2 na compreensão oral e B1 na expressão oral.
Sobre a entrevista, o Eduardo considera que a maior parte das perguntas foram parecidas com as entrevistas do Brasil só que tudo em francês. Disse que os entrevistadores foram extremamente pontuais.
Perguntamos ao Eduardo quais foram os principais fatores para ele conseguir a vaga. Ele acredita que foi principalmente pelo fato que a empresa que contratou ele tem projetos e clientes (governo e instituições bancárias) muito parecidos com os que ele trabalha e trabalhou aqui no Brasil. As ferramentas e tecnologias usadas são iguais. Também, ele foi bem no teste técnico e o francês fluiu durante a entrevista.
Apesar do salário não ser o único fator decisório ao aceitar uma vaga, principalmente quando se trata de uma imigração, pedimos ao Eduardo comparar o seu salário no Brasil com o futuro salário no Canadá e realmente, ele vai acabar ganhando um pouco menos lá. Foram a carga horária menor (35 horas semanais), a qualidade de vida, a segurança e a possibilidade de descobrir uma nova cultura que convenceram ele a aceitar.
E o Eduardo tem mais um conselho para vocês que querem se candidatar para vagas de emprego no Canadá francófono: treine bastante a écoute (rádio de notícias da França e do Canadáe assista a filmes com áudio em francês. Em sala de aula, participe bastante dos exercícios de expressão oral.
Muito obrigado Eduardo por nos oferecer o seu depoimento! Te desejamos muito sucesso no seu projeto Québec.