Jacson Muniz

Estou há um mês vivendo em Montréal e apesar de ser uma vila praticamente bilingue, francês e inglês, sinto que na tratativa com as pessoas “québécoises”, o uso do francês é sempre mais amigável e mais bem recebido.

Não é fácil compreender o francês de Québec, mas com certeza o esforço de tentá-lo entender é bem valorizado. Nesses momentos percebo quanto foi útil e proveitoso estudar francês na École Québec enquanto morei no Rio de Janeiro, o contato constante com professores e amigos vindos de Québec ajudaram muito na minha integração aqui, pois além de aprender o idioma de forma prática, pude conhecer expressões e praticar meu ouvido para o “sotaque” de Québec, conhecer um pouco da cultura deles mesmo antes de sair do Brasil, ter acesso a filmes e livros produzidos em Québec, saber quais são ferramentas básicas utilizadas no dia-a-dia de um habitante de Québec e sobretudo, fazer grandes amigos com os quais posso reencontrar aqui e me sentir como se já morasse aqui há muito tempo.